Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias

Econômia doméstica: qual eletrodoméstico escolher

segunda, 10 de outubro de 2022
Categoria

fonte: iStock

Com aumentos recentes e consecutivos do gás de cozinha e da energia, o “bom e velho” fogão pode ser a opção mais econômica

É certo que volta e meia dentro de uma casa surge a dúvida: o que é melhor? Usar o fogão ou o forno micro-ondas? Bom, uma conta matemática básica é o tempo que se gasta para aquecer água, por exemplo. No forno micro-ondas, o custo é duas vezes maior que no fogão a gás. Então, se 1 real for gasto no fogão a gás, pelo menos 2 reais serão gastos no forno micro-ondas.

Com esta informação, outro fator deve ser observado, a rotina. Sem dúvida, o dia a dia dos moradores (ou morador) de uma residência determina o custo-benefício do que usar. É cada vez mais comum morar sozinho, dividir um aluguel ou até mesmo começar uma vida a dois sem a necessidade de uma grande estrutura. Olhando deste ângulo, o forno micro-ondas é a opção mais viável. Com uma rotina corrida, a qual muitas refeições já não são feitas em casa, o micro-ondas é uma opção rápida que não exige uso de panelas, o que simplifica o quesito limpeza, nem um tempo grande de espera para preparar ou esquentar os alimentos.

Por outro lado, para quem ainda mantém uma rotina familiar ou conta com auxílio doméstico, o fogão a gás ainda se mostra a melhor escolha. Ele permite que se possa optar pela qualidade do preparo e saúde dos alimentos, além de não precisar diretamente de energia para funcionar.

Atualmente, o botijão de gás de cozinha custa em média no Brasil 110 reais e dura em torno de 50 dias, dependendo da quantidade de uso. Na busca por praticidade, outros eletros, como a airfryer (fritadeira que não necessita o uso de óleo), entram na cozinha e também disputam o valor final do orçamento quanto ao gasto de energia elétrica. Para a dona de casa Neide Rodrigues, no dia a dia da família, tanto o fogão quanto o micro-ondas têm utilidade. “Um não anula o uso do outro, acabam se complementando. O micro-ondas não proporciona o prazer de cozinhar, enquanto o fogão não descongela alimentos tão rápido. Não sei quanto gasto de energia na cozinha, mas passo mais de dois meses com um botijão de gás. Olhando tudo que ele faz, acredito que é o mais barato.”

No final, são as variáveis que determinam o custo mensal sobre a utilidade do fogão a gás ou forno micro-ondas, entre elas o próprio manuseio. É importante lembrar que, independentemente da escolha, o uso correto e consciente vai fazer toda a diferença.

Fonte: Divulgação