Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Zulu Araújo faz palestra em Londrina sobre combate ao racismo e pacificação social Zulu Araújo faz palestra em Londrina sobre combate ao racismo e pacificação social

Zulu Araújo faz palestra em Londrina sobre combate ao racismo e pacificação social

Thursday, 16 de June de 2016

O evento será o primeiro organizado pela recém-criada
Comissão da Promoção da Igualdade Racial da OAB-Londrina

Reprodução

A OAB-Londrina recebe, no próximo dia 20, o arquiteto e
militante do movimento negro na América Latina, Edvaldo Mendes Araújo, mais
conhecido como Zulu Araújo, para a palestra “O combate ao racismo e o respeito
à diversidade como forma de pacificação social.”

A palestra será o primeiro evento da recém-criada Comissão
da Promoção da Igualdade Racial e das Minorias, coordenada pelo advogado Tito
Vale e pela conselheira da Subseção Maria Lucilda dos Santos. A palestra, gratuita,
está agendada para 19h30.

Zulu Araújo foi presidente da Fundação Cultural Palmares
entre os anos 2007 e 2010, ligado ao Ministério da Cultura. Foi também diretor
de Cultura e conselheiro do Grupo Cultural Olodum por 10 anos, administrador e
coordenador cultural da Praça do Reggae, assessor especial da Secretaria de
Cultura da Bahia e da Fundação Cultural do Estado e coordenador-geral da
celebração dos 300 anos de Zumbi dos Palmares. Em 2003, se tornou diretor de
Promoção, Intercâmbio e Divulgação de Cultura Afro-brasileira da Fundação
Palmares. Já em 2007, foi indicado pelo então ministro Gilberto Gil para
presidir a fundação. Além disso, foi representante do Brasil na Comunidade dos
Países de Língua Portuguesa. Atualmente preside a Fundação Calmon de Sá em
Salvador.

Ele também foi um dos 150 brasileiros convidados pela
produtora Cine Group para fazer um exame de DNA e identificar suas origens
africanas. Araújo declarou, à época, que considera como um dos maiores crime
contra a população negra o fato de terem retirado dela a possibilidade de
conhecer suas origens.

Após o teste de DNA, ele descobriu ser descendente do povo
tikar, de Camarões. Ele viajou ao país africano para conhecer seus descendentes
e declarou que conhecer suas origens o completou enquanto cidadão.

Em Londrina, onde já esteve anteriormente, participou de
outros eventos, dentre eles o que instituiu a política de cotas na UEL.

Fonte: Divulgação