Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Prefeitura entra com recurso para evitar fechamento do comércio

Prefeitura entra com recurso para evitar fechamento do comércio

Wednesday, 01 de July de 2020

Município protocolou recurso administrativo junto à SESA, solicitando revisão das medidas restritivas estipuladas em decreto estadual

Foto: Emerson Dias –

O prefeito Marcelo Belinati apresentou, nesta quarta-feira (1°), durante transmissão ao vivo realizada em seu gabinete, o posicionamento oficial do Município em relação ao Decreto Estadual n° 4.942, que suspendeu atividades consideradas não essenciais pelo período inicial de catorze dias.  Londrina, que centraliza a 17º Regional de Saúde, foi incluída entre o rol de cidades que devem adotar medidas mais restritivas de isolamento social contra o novo coronavírus, entre elas o fechamento do comércio. O Município solicita à Secretaria Estadual de Saúde que seja revista a interpretação dos índices da situação local.

Marcelo explicou que Londrina se preparou para a pandemia com antecedência e que investiu mais de R$40 milhões em recursos públicos. O planejamento incluiu a suspensão, no final de março, das atividades econômicas, dentre muitas outras ações. “Desde o início, Londrina, por meio da união com a Câmara Municipal, empresários, sindicatos e toda população, vem adotando todas as medidas preventivas e de assistência, preconizadas pelas melhores autoridades e pesquisadores do mundo. Fomos uma das primeiras cidades do Brasil a tornar obrigatório o uso de máscaras de proteção, fomos uma das primeiras a adotar o isolamento social quase total. Tudo isso nos permitiu alcançar um cenário efetivo no combate à pandemia”, citou.

Foto: Emerson Dias

O prefeito destacou os principais índices analisados no enfrentamento da pandemia de coronavírus, e mostrou que Londrina registra dados melhores do que outras cidades, ainda que algumas delas não tenham sido incluídas na quarentena estipulada pelo governo do Estado. “Não podemos comparar a cidade de Londrina com cidades que estão perto de 100% de ocupação dos leitos de UTI. Vivemos uma outra realidade, graças ao esforço conjunto da cidade, do nosso povo. Frente a isso, causou-nos surpresa as novas regras do decreto estadual, no que toca à cidade de Londrina”, afirmou.

Dessa forma, o prefeito explicou que são necessários alguns esclarecimentos, que justifiquem a imposição da quarentena para a cidade. “Em primeiro lugar, pela ausência de tempo para que as pessoas, empresas, entidades e poder público se organizassem. Em segundo lugar, chama a atenção a ausência de dados específicos para comprovar a necessidade de quarentena em Londrina nesse momento. Cidades com indicadores piores não terão a quarentena, mas nós teremos que fechar, e essa é a grande questão, que pegou os londrinenses de surpresa. Compreendemos que o governo do Estado está considerando indicadores regionais para tomar suas decisões. Não é uma análise isolada da cidade, mas da macrorregião, que abrange mais de 20 municípios”, indicou.

Por conta destes questionamentos, o Município protocolou, junto à Secretaria de Estado da Saúde, recurso administrativo frente ao Decreto Estadual nº 4.942. “Solicitamos às autoridades de saúde do Estado uma revisão das medidas aplicadas em relação à nossa cidade. Respeitamos as autoridades constituídas, as questões jurídicas elencadas, e o que estamos colocando, em respeito a todos os regramentos, é que estaremos respeitando essa decisão a partir do próximo domingo (5), para que nossa cidade possa se organizar”, antecipou Marcelo.

O novo decreto municipal n° 774 será publicado esclarecendo que, caso não haja alteração das medidas imposta pelo Estado, a quarentena estabelecida no Decreto Estadual n° 4.942 passa a valer já neste domingo (5), com flexibilização para abertura das feiras livres e somente nesta data. A íntegra do documento poderá ser conferida na edição do Jornal Oficial, disponível no Portal da Prefeitura.

Dados oficiais – Dentre as informações apresentadas na transmissão on-line, o prefeito de Londrina citou a taxa de positividade para Covid-19. Esse índice aponta, a cada 100 pessoas que fizeram exame para o novo coronavírus, quantas obtiveram resultado positivo. Quanto menor for o índice, melhor a contenção da pandemia.

Londrina possui taxa de positividade para Covid-19 de 16,68%, conforme os dados levantados até o dia 30 de junho. É o menor índice dentre as principais cidades paranaenses, como Curitiba (60,20%), Cascavel (48%), Maringá (35%), e inferior ao próprio Estado, com 20,73%.

A taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), que são exclusivos para coronavírus, também é menor em Londrina, de 48%. A capital, Curitiba, possui ocupação de 78%, Cascavel, de 88,8%, e Maringá, de 57,8%.

Outra relação apresentada foi a incidência de casos positivos por 100 mil habitantes. Londrina registrou 234,5/100 mil habitantes, número inferior ao atingido pelas cidades de Maringá (358,77), Cascavel (904,24) e Curitiba (267,86).

Fonte: N.Com