Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Jardim Botânico de Londrina Jardim Botânico de Londrina Jardim Botânico de Londrina

Jardim Botânico de Londrina

Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina
Foto: Divulgação
Foto: Wilson Vieira
Foto: Wilson Vieira
Foto: Wilson Vieira
Foto: Wilson Vieira
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina

Histórico

O Jardim Botânico de Londrina é uma das mais importantes unidades de pesquisa e conservação de espécies nativas e exóticas no Paraná. O Jardim Botânico é um espaço voltado à proteção e cultivo de espécies silvestres raras, ameaçadas de extinção, ou econômica e ecologicamente importantes para a restauração e reabilitação de ecossistemas.

Com mais de 1 milhão de metros quadrados de mata nativa, nascentes e rios, o Jardim Botânico de Londrina foi criado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – com cessão de uma área de 70 hectares pelo Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) e outros 20 hectares por parte da Associação Brasileira de Educação. As doações permitiram a inserção de parte da bacia do Ribeirão Cafezal – manancial de abastecimento de Londrina – ao espaço de preservação.

Biodiversidade

A Mata Atlântica: predominante do norte do Paraná é classificada como Floresta Estacional Semidecidual – hoje, reduzida a 4,2% de sua área original.

O conceito ecológico da formação relaciona-se à dupla estacionalidade climática: uma tropical, com chuvas intensas de verão; e outra subtropical com seca fisiológica provocada pelo frio do inverno.

A proporção de árvores caducifólias – cujas folhas caem no inverno – situa-se entre 20% e 50% do conjunto florestal.

A Floresta Semidecidual é caracterizada pelos seguintes extratos florestais:

• EXTRATO HERBÁCEO /ARBUSTIVO
Vegetação de até 5 metros, fornece alimentação para os animais rasteiros, sobrevive com pouca luz. Exemplo: piper ou jaborandi, família da rubiácea e outras frutinhas pequenas.

• SUB-BOSQUE
Árvores de porte intermediário, de 8 a 12 metros, imprescindíveis à alimentação de aves, contém muitas espécies frutíferas. Exemplos: baga de morcego, palmito, pitanga, guamirim, cambuí, jaboticaba.

• DOSSEL
Extrato superior da floresta, onde se encontram espécies de grande porte, que atuam na regulação do equilíbrio climático da mata; filtram a luz do sol e trazem água e nutrientes da parte mais funda do subsolo. Exemplo: Cedro, gabiroba, canelas, araribá, cebolão, angicos.

• EXTRATO ARBÓREO
Espécies que extrapolam o dossel, têm as raízes mais profundas, com até 40 metros de profundidade; também na regulação do equilíbrio da mata; árvores centenárias. Exemplo: peroba, figueira, jequitibá e pau d’alho.

De quarta a domingo, das 09:00 às 19:00
Tels: (43) 3324-0991

Endereço

Av. dos Expedicionários, 200 - Conj. Res. Vivendas do Arvoredo, Londrina - PR, 86047-575