Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Jardim Botânico de Londrina Jardim Botânico de Londrina

Jardim Botânico de Londrina

Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina
Foto: Divulgação
Foto: Wilson Vieira
Foto: Wilson Vieira
Foto: Wilson Vieira
Foto: Wilson Vieira
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina
Jardim Botânico de Londrina

Histórico

O Jardim Botânico de Londrina é uma das mais importantes unidades de pesquisa e conservação de espécies nativas e exóticas no Paraná. O Jardim Botânico é um espaço voltado à proteção e cultivo de espécies silvestres raras, ameaçadas de extinção, ou econômica e ecologicamente importantes para a restauração e reabilitação de ecossistemas.

Com mais de 1 milhão de metros quadrados de mata nativa, nascentes e rios, o Jardim Botânico de Londrina foi criado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – com cessão de uma área de 70 hectares pelo Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) e outros 20 hectares por parte da Associação Brasileira de Educação. As doações permitiram a inserção de parte da bacia do Ribeirão Cafezal – manancial de abastecimento de Londrina – ao espaço de preservação.

Biodiversidade

A Mata Atlântica: predominante do norte do Paraná é classificada como Floresta Estacional Semidecidual – hoje, reduzida a 4,2% de sua área original.

O conceito ecológico da formação relaciona-se à dupla estacionalidade climática: uma tropical, com chuvas intensas de verão; e outra subtropical com seca fisiológica provocada pelo frio do inverno.

A proporção de árvores caducifólias – cujas folhas caem no inverno – situa-se entre 20% e 50% do conjunto florestal.

A Floresta Semidecidual é caracterizada pelos seguintes extratos florestais:

• EXTRATO HERBÁCEO /ARBUSTIVO
Vegetação de até 5 metros, fornece alimentação para os animais rasteiros, sobrevive com pouca luz. Exemplo: piper ou jaborandi, família da rubiácea e outras frutinhas pequenas.

• SUB-BOSQUE
Árvores de porte intermediário, de 8 a 12 metros, imprescindíveis à alimentação de aves, contém muitas espécies frutíferas. Exemplos: baga de morcego, palmito, pitanga, guamirim, cambuí, jaboticaba.

• DOSSEL
Extrato superior da floresta, onde se encontram espécies de grande porte, que atuam na regulação do equilíbrio climático da mata; filtram a luz do sol e trazem água e nutrientes da parte mais funda do subsolo. Exemplo: Cedro, gabiroba, canelas, araribá, cebolão, angicos.

• EXTRATO ARBÓREO
Espécies que extrapolam o dossel, têm as raízes mais profundas, com até 40 metros de profundidade; também na regulação do equilíbrio da mata; árvores centenárias. Exemplo: peroba, figueira, jequitibá e pau d’alho.

De quarta a domingo, das 09:00 às 19:00
Tels: (43) 3324-0991

Endereço

Av. dos Expedicionários, 200 - Conj. Res. Vivendas do Arvoredo, Londrina - PR, 86047-575