Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Histórico do Município Histórico do Município

Histórico do Município

Thursday, 03 de July de 2008
Categoria:

Um dos aspectos da Geografia Humana é o estabelecimento do homem nas proximidades dos cursos d’água. A maioria das antigas povoações no interior do país tiveram suas bases lançadas ao longo dos rios, por serem estes, quando não o único meio de transporte natural, pelo menos o mais fácil e também porque o abastecimento de água assim o exigia.


O rio Itararé, que a partir de 1.853, passou a constituir, em grande parte, divisa entre os Estados do Paraná e São Paulo, também exerceu atração sobre aqueles que imaginando as riquezas do interior, se dispunham a enfrentar os obstáculos naturais do sertão, inclusive os nativos, seu natural detentor, fundando povoações ao longo do tempo.


Primeiramente chegaram três irmãos paulistas, José, Joaquim e Pedro Leite da Silva, com o objetivo de cultivar a terra. Por volta de 1860, outro grupo também paulista, oriundos de São Paulo e Cananéia, formado por aventureiros à procura de ouro e pedras preciosas, instalou-se às margens do Itararé, ribeirão da Cruz, ribeirão Novo e Alemoa. As terras que couberam ao segundo grupo, foram vendidas até serem finalmente adquiridas por aqueles que vieram a povoar suas terras, aproximadamente em 1.889.


Em 1.890, os Senhores Joaquim Calixto de Medeiros e Bartolomeu Vicente Ribeiro, doaram suas terras para a fundação do patrimônio que foi chamado de São Bom Jesus dos Passos.


Em 1.892, alguns ranchos começaram a ser construídos ao longo da estrada que dava acesso a Fartura, exatamente onde hoje se encontra a sede municipal. Seus primeiros moradores foram: João Garcia, João Vergilho, Pedro Cabral e Francisco Leme Rosa.


Em 1.896, foi organizada a comissão formada pelos doadores, a fim de legalizar o Patrimônio, pertencente ao antigo município de São José da Boa Vista. Em 1.901 foi elevado à categoria de Distrito Policial pelo Decreto Estadual Nº 290, denominado Distrito Jaboticabal.


Segundo consta, por volta de 1.907, o Distrito de Jaboticabal apresentava notável desenvolvimento, com um bom comércio e pequenas indústrias, entre as quais destacavam-se as de aguardente, as ferrarias, funilarias, ourivesarias e outras.


A criação do Município de Jaboticabal se deu a 02 de abril de 1.907 e a sua instalação a 13 de julho do mesmo ano.


Por resolução da Câmara Municipal, o Município passou a denominar-se Carlopolis, em homenagem ao tenente-coronel Carlos Cavalcanti de Albuquerque, então Presidente do Estado do Paraná. Essa denominação foi mantida por decisão da Assembléia Legislativa pela Lei Estadual Nº 1.943 , de 1.920.


O Município se desenvolveu graças à agricultura e teve um período de grande crescimento econômico, a partir do final da década de 40 até o início dos anos 70. A construção da Usina Hidrelétrica de Xavantes foi decisiva para uma mudança radical na sua economia. Um terço de sua área agrícola, equivalente a aproximadamente 6.000 alqueires paulistas, foram inundadas, provocando uma grande redução da população do Município e queda de 50% na produção.


Entretanto, o grande lago que apresenta paisagens belíssimas e praias artificiais, atraiu e atrai investimentos na área de lazer e náutica, apresentando ao longo dos anos um crescimento acentuado na área de construção civil e, principalmente, com o reconhecimento do Município com potencial turístico pela Embratur, a população mudou, não apenas comportamentos para bem receber os turistas, mas diversificou a produção agrícola, introduzindo no mercado, frutas de excelente qualidade, que despertou interesse nacional, sendo produto de exportação interna, como a goiaba especial de mesa, o caqui, a manga, a acerola,etc., estimulando a economia local.