Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Ser assertivo e generoso ao mesmo tempo Ser assertivo e generoso ao mesmo tempo

Ser assertivo e generoso ao mesmo tempo

Wednesday, 19 de August de 2015
Categoria: noticia

Cotidianamente, observo pessoas tentando estabelecer uma comunicação e o que mais me chama a atenção são as sutilezas do comportamento humano. Inúmeras vezes, as flagro preocupadas em serem politicamente corretas, por meio de um discurso vazio de alma; dizem ou fazem coisas que parecem não ser condizentes com aquilo que as motiva verdadeiramente, mantendo um contato superficial com a outra parte.

O corpo se expressa o tempo todo e, nesses momentos, ele envia uma mensagem dissonante sobre o que está sendo dito. Particularmente, quando percebo tais conflitos, foco minha atenção na expressão corporal, pois essa é, quase sempre, mais fidedigna.  Observo que, quanto maior a preocupação pela aceitação do outro, menor a autoaceitação e espontaneidade. Inúmeros são os disfarces que empregamos para escamotear as fragilidades e ostentar ser aquilo que não se é; representa um dos males da nossa civilização.

“O corpo se expressa o tempo todo e,
nesses momentos, ele envia uma mensagem
dissonante sobre o que está sendo dito.
Particularmente, quando percebo tais conflitos,
foco minha atenção na expressão corporal,
pois essa é, quase sempre, mais fidedigna.”

Pessoas evitam conversar e refletir sobre suas reais dificuldades em boa parte do tempo. Acreditam que vale a pena “ficar bem na foto” e não é à toa que publicam selfies nas redes sociais de forma exagerada. Creio que podemos aprender a viver bem e isso implica em lidarmos com nossas forças positivas e dificuldades, tais como: sentimentos de medo, culpa e raiva. O preço do investimento pode ser considerado alto, no momento, porém, a recompensa é garantida no futuro, pois a maturidade nos ensina a abrir mão do prazer imediato para uma satisfação maior a médio e longo prazo.

Somente o exercício do autoconhecimento proporcionará o tão temido desapego. Mas como aprender a fazer um movimento de “soltura” frente aos condicionamentos sociais? O caminho é longo e sugiro iniciá-lo revendo suas crenças limitantes sobre a vida e gerando novas possibilidades para si mesmo. O treino da competência de assertividade pode ser um excelente caminho.

Define-se comportamento assertivo como aquele que envolve a expressão direta das necessidades, sentimentos e opiniões das pessoas, permitindo defender os próprios argumentos, sem jamais violar os direitos da outra parte. Seguem algumas reflexões sobre tal competência:

  • Desejo ser uma pessoa mais honesta e autêntica comigo mesma?
  • Almejo ser leal e, ao mesmo tempo, autêntica com as pessoas de minha convivência?
  • Estou disposta a abrir mão de uma imagem virtuosa e deixar transparecer algumas incertezas?
  • Consigo dizer não em situações que me expõem a riscos?
  • Quando experimento dizer não, transmito meus motivos e reais interesses?

Essas questões geralmente passam a quilômetros de distância da maioria das pessoas, uma vez que temem desagradar terceiros, ou mesmo comportam-se de modo agressivo e controlador a fim de garantir uma falsa ilusão de poder. Costumeiramente, vivem aprisionadas e, por isso, precisam mostrar algo de positivo para os outros.

Ser assertivo significa confrontar velhas culpas e o medo da rejeição, além de se perguntar: Se eu disser sim ao pedido do outro, o quanto nos beneficiaremos com isso? E se escolher dizer não, o quanto aprenderemos com essa experiência? Assim, cada parte poderá rever a sua forma de estar no relacionamento, seja permissiva ou agressiva, seja manipuladora.

“Se eu disser sim ao pedido do outro,
o quanto nos beneficiaremos com isso?
E se escolher dizer não, o quanto
aprenderemos com essa experiência?”

Caro leitor, você acredita ser possível experimentar mais assertividade na sua comunicação e obter, como consequência, maior respeito de terceiros? Compartilhe suas ideias no meu blog.


MC Consalter – Psicóloga Organizacional e Coach
Certificada em coaching pelo ICI (2013) 

Acesse para saber mais:
http://mcconsalter.wordpress.com/