Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
UEL contribui para Londrina estar no Mapa do Turismo Brasileiro UEL contribui para Londrina estar no Mapa do Turismo Brasileiro

UEL contribui para Londrina estar no Mapa do Turismo Brasileiro

Monday, 02 de September de 2019

A produção e a disseminação da ciência atraem para Londrina milhares de visitantes todos os anos, fortalecendo a cidade como polo de eventos de grande porte em diversas áreas de conhecimento. A elevação do município à categoria ‘A’ no Mapa do Turismo Brasileiro (2019-2021), divulgado no início desta semana, reflete os resultados deste turismo de eventos, com grande participação da Universidade Estadual de Londrina (UEL) por meio de congressos, debates e palestras.

Estimativa do Londrina Convention Bureau aponta que em 2019 serão realizados 3 mil eventos na cidade. Somente neste ano a UEL já promoveu, ou tem cadastrados, 416 eventos que totalizam cerca de 24 mil participantes. Destes, 22 são internacionais e 38 nacionais que deverão atrair palestrantes renomados e pesquisadores interessados em acompanhar os debates científicos. Os dados foram levantados junto à Assessoria de Tecnologia da Informação da UEL (ATI), com base nos eventos oficiais cadastrados na Pró-reitoria de Extensão, Cultura e Sociedade (Proex).

Considerando o biênio 2018/2019, o volume de eventos cadastrados chega a 984, com 64.779 inscritos. São 44 eventos internacionais, 471 locais, 107 nacionais, 316 regionais e 46 estaduais. A diretora de Turismo da Companhia de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Maite Uhlmann, confirma que a elevação para a categoria A se deve à atração de turistas para eventos e negócios, já que a cidade não conta com atrativos naturais como praias, quedas e montanhas.

Universidade Estadual de Londrina. Foto: José Fernando Ogura/ANPr

O que fortalece Londrina, acrescente ela, é oferecer uma série de atrativos para o visitante a partir de um roteiro de compras, restaurantes, bares, lanchonetes e lazer bem próximos durante a estadia local. Ela explica que a partir desta inserção o município passa a ter condições de disputar recursos oficiais do Ministério do Turismo, juntamente com Foz do Iguaçu e Curitiba. “Entendemos que a UEL é um celeiro de eventos e, mais do que isso, um grande banco de talentos. A universidade tem participação gigante neste resultado”, destaca a diretora.

INCREMENTO – O nível A é conferido aos municípios com maior fluxo turístico e maior número de empregos e estabelecimentos no setor de hospedagem. O levantamento nacional apontou 2.694 cidades de 333 regiões turísticas no país, validadas pelo Ministério do Turismo e incluídas na atualização da plataforma. No Paraná, são 14 regiões turísticas, segundo o novo mapa.

O presidente-executivo do Convention Bureau, Arnaldo Falanca, detalha que o maior volume dos eventos da cidade está ligado à área acadêmica com grande participação da UEL e das demais universidades e faculdades existentes. Outras áreas de eventos estão relacionadas aos setores de saúde, agronegócio, sociais (casamentos, formaturas e festas), além dos eventos corporativos e religiosos.

Ele considera a UEL como o maior captador dos eventos acadêmicos e defende que professores e servidores se envolvam cada vez mais nas ações do setor. O objetivo é equipar Londrina, tornando-a mais atrativa para quem vem de fora. “Esta elevação somente aumenta a nossa responsabilidade, pois necessitaremos preparar melhor a cidade para concorrer com as demais que estão na mesma categoria”, define o Falanca.

REDE HOTELEIRA – Além das centenas de eventos promovidos anualmente, a UEL realiza o vestibular, que historicamente ultrapassa a casa dos 20 mil inscritos, colaborando com o calendário de eventos fixos importantes para a rede hoteleira. Considerando ainda os acompanhantes dos candidatos, calcula-se que milhares de pessoas de outras cidades vão para Londrina em função da prova da 1ª fase, no mês de outubro.

Outro evento de grande proporção é a Feira das Profissões, que em junho deste ano reuniu em torno de 15 mil estudantes em visitas agendadas ao Campus Universitário para conhecer a estrutura dos 53 cursos de graduação. Segundo a pró-reitoria de Graduação, os participantes da última edição vieram de 193 escolas de 67 municípios – 51 deles do Paraná e 16 do estado de São Paulo.

Entre os grandes eventos que ocorreram na cidade em 2018 e 2019 se destacaram o Congresso Internacional de Política Social e Serviço Social: desafios contemporâneos, com 1062 participantes; o Encontro Internacional de Estudos da Imagem (622 inscritos); o Congresso Paranaense de Microbiologia e Internacional Symposium of Mycology (602); o Congresso Internacional de Educação – contextos educacionais, que ainda está com inscrições abertas e já conta com 415 inscritos; e o Congresso Brasileiro de Educação Sexual com 321 inscritos.

SEMANA – Somente nesta semana acontecem diversos eventos na UEL, entre eles, o 4º Simpósio Nacional de História Militar, que trouxe a Londrina participantes de aproximadamente 30 instituições do país. O 14º Workshop do Projeto Atlas Linguístico do Brasil, outro evento de grande porte e que reúne pesquisadores e estudantes de oito instituições brasileiras, todas universidades federais, além de pesquisadores da UEL.

A universidade sedia ainda nestes dias a Jornada Internacional Brasil e Argentina (JIBA), que debate as formações de professores da área das Ciências Humanas, envolvendo especialmente as licenciaturas de Ciências Sociais e Letras-Espanhol. O evento busca também consolidar as ações de internacionalização entre a UEL e a Universidade Nacional de Córdoba, reunindo pesquisadores brasileiros e argentinos.

Outra ação relacionada à atração de visitantes decorre dos convênios, programas e acordos que a universidade mantém com 136 Instituições de Ensino Superior de 28 países, segundo dados repassados pela Assessoria de Relações Internacionais (ARI). Destes acordos, 86 são para a chamada mobilidade acadêmica, que permite a vinda e o envio de pesquisadores. Há ainda o recebimento de profissionais que vêm de outros locais para etapas de pesquisas e eventos, sem qualquer formalização ou acordo de mobilidade.

Fonte: Agência Estado