Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Prefeituras do Paraná buscam soluções para Cidades Inteligentes em Londrina

Prefeituras do Paraná buscam soluções para Cidades Inteligentes em Londrina

terça, 28 de novembro de 2023
Categoria


9º Congresso de Cidades Digitais e Inteligentes destaca que inovação é um excelente investimento para os municípios. Prefeitos e projetos inovadores foram reconhecidos no evento

Após um dia e meio de intensa programação, terminou, em Londrina, o 9º Congresso de Cidades Digitais e Inteligentes, na sexta-feira (24 de novembro). O evento reuniu prefeitos, gestores, legisladores de cerca de 100 cidades paranaenses e mais 15 empresas de soluções digitais, oferecendo ferramentas que estão revolucionando gestões públicas por todo o Brasil.

O congresso foi realizado pela Rede Cidade Digital, em parceria com a Prefeitura de Londrina, por meio do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel).

Após a abertura, na quinta-feira, dia 23, em que participaram, entre outras autoridades, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati; o presidente da Codel, Alex Canziani; o presidente da Companhia de Tecnologia e Desenvolvimento de Londrina, Luciano Khul; e o diretor da Rede Cidade Digital, José Marinho; foi dado início a palestras e apresentações de cases de pequenas, médias e grandes cidades, que estão tendo a oportunidade de ter uma gestão mais econômica, eficaz e proporcionar melhorias para os cidadãos, através da adoção de tecnologias.

“Inovação não é gasto, é investimento”, salientou o diretor da RCD. Segundo Marinho, o congresso pôde mostrar aos participantes os benefícios das mais variadas inovações já disponíveis no mercado e que, implantadas, iniciam a jornada de um município para se transformar numa cidade inteligente, conceito que vem ganhando força e maior compreensão no Brasil.

O secretário municipal de Fazenda de Maringá, Orlando Chiqueto Rodrigues, ao receber o reconhecimento de Projeto Inovador, no encerramento do congresso, sexta-feira, corroborou com a afirmação de Marinho de que tecnologia é investimento. “Nós estamos economizando R$ 500 mil por ano após a adoção da Tramitação Eletrônica da Execução Orçamentária”, informou. Esse foi um dos três projetos de Maringá reconhecidos como inovadores durante o congresso.

O diretor da Softplan – empresa que participou do evento -, Bruno Pinheiro, também reforçou que para cada R$ 1,00 investido em inovação, o retorno para o município pode chegar a mais de R$ 80,00.

Cidades Inteligentes
A agenda técnica do congresso foi encerrada com o painel de discussão “Governança de Cidades Inteligentes”, com a participação de Sérgio Tanaka, vice-presidente da Associação Brasileira de Internet das Coisas (ABINC) e professor da Unifil. Ele destacou a evolução de conceitos até chegar a Cidades Inteligentes, caracterizada, entre outros, pela integração de dados e de processos.

“Nós não temos ainda cidades inteligentes, mas sim iniciativas, algumas avançadas, de cidades inteligentes”.  Tanaka salientou a importância da arquitetura corporativa e o papel da Governança dentro de prefeituras para que as inovações sejam implantadas de forma eficaz e que tragam resultados visíveis para os cidadãos. “É preciso saber usar as ferramentas disponíveis. Se não tiver uma arquitetura corporativa dentro de um planejamento e com governança, as ferramentas não servem para nada”, reforçou. “Se não há qualidade de vida para os cidadãos e eficiência nos gastos públicos, não é inteligente”, complementou.
Os desafios elencados por Tanaka para se chegar ao conceito pleno de Cidade Inteligente são a integração de dados, padronização nos processos e rastreabilidade.

Também a presidente da Governança Londrina Inteligente, Cristianne Cordeiro participou do painel, destacando o papel dos voluntários que se unem em várias governanças de inovação em Londrina e no Paraná. “São pessoas reunidas para pensar a cidade e propor soluções”, descreveu.

Além das Governanças, existem ainda, no Estado, os Comitês Territoriais, que reúnem cidades próximas em torno das discussões sobre inovações; e os Sistemas Regionais de Inovação. “Unidos somos mais fortes”, destacou.

Respondendo a questões da plateia do congresso, a presidente do ecossistema reconheceu que o processo é lento e que para a efetivação das transformações é necessário desenvolver a cultura de se construir juntos. Ela lembrou que, para o próximo ano, o Paraná irá destinar R$ 700 milhões para inovação, um valor bastante relevante e que será destinado ao Fundo Paraná, Fundação Araucária e Secretaria de Inovação e seus vários projetos.

Prefeitos e projetos inovadores
O 9º Congresso de Cidades Digitais e Inteligentes reconheceu prefeitos e projetos inovadores no Paraná.
Para os reconhecimentos, os critérios são as iniciativas de destaque, com impactos positivos para a população, já implantados ou em fase de implantação.

Os Prefeitos Inovadores foram os prefeitos de:  Londrina, Marcelo Belinati, pelo lançamento do Programa EmpregaTech; de Turvo, Geronimo Gadens, pelo lançamento do Programa Advance;  de Jardim Olinda, Lucimar de Souza Morais, pela disponibilização do app Oxy Cidadão; de Pato Branco, Robson Cantu, pela disponibilização de Botão de Segurança no Ensino Público; de Maringá, Ulisses Maia, pela implantação de Software com Inteligência Artificial na Procuradoria Geral do Município; e de Campo Mourão, Tauillo Tezelli, pelo Ecossistema de Inovação; de Umuarama, Hermes Pimentel da Silva, pelo lançamento do aplicativo para Gestão de Programas Habitacionais; de Ibiporã, José Maria Ferreira, pela entrega de tablets à Saúde; de Assai, Michel Angelo Bomtempo, pela constituição do Ecossistema de Inovação e Transformação Digital do Vale do Sol; de Ponta Grossa, Elizabeth Silveira Schimidt, pelo Programa Mulher + Segura; de Toledo, Beto Lunitti Pagnussatt, pela implantação de nova Central de Videomonitoramento; e de Rio Negro, James Karson Valério, pelo projeto Robótica na Escola.

Já os Projetos Inovadores foram os de: Rio Negro Cidade Segura, da prefeitura de Rio Negro; Luz Solar para Todos, de Itaipulândia; Programa Profissão 4.0, de Prado Ferreira; Tramitação Eletrônica da Execução Orçamentária, ACE Mobile: Informatização no combate à dengue na cidade de Maringá, e CCI – Centro de Controle Integrado, os três da cidade de Maringá; Educação e Tecnologia na Escola, de Apucarana; e Aluno Conectado, de Toledo.

Realização e apoio
O 9º Congresso de Cidades Digitais e Inteligentes contou, além da programação técnica, também com uma feira de soluções e inovações, com a participação da 1Doc, CTMGEO, Aprova, IGTECH, Softplan, Evolution Tecnologia Funerária, Voxcity Tecnologia, Placarsoft, Partner Telecom, Instituto das Cidades Inteligentes, Headnet Tecnologia, Sistema Traz Valor e Ahgora.

O congresso teve o apoio institucional da governança Londrina Inteligente, Associação dos Municípios do Paraná, Sebrae e das associações regionais de municípios Assomec, Amocentro, Amcespar, CANTU, Amsop, Amunop, Amusep, Amuvi, Comcam, Amop, Amunorpi, Amsulep, Amepar e Amsulpar; Associação das Câmaras Municipais do Sudoeste do Paraná (ACAMSOP) e União de Câmaras, Vereadores e Gestores Públicos do Paraná (UVEPAR). O Ibis Londrina Shopping foi o hotel oficial do evento.

Fonte: Divulgação