Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Prefeitura homenageia Prestes Maia nomeando Parque Ecológico no Lago IV

Prefeitura homenageia Prestes Maia nomeando Parque Ecológico no Lago IV

Tuesday, 07 de December de 2021

Francisco Prestes Maia foi o autor da primeira lei a se preocupar com a proteção dos fundos de vales e a estabelecer as regulamentações sobre os loteamentos em Londrina; Lei Municipal nº 133/1951 foi uma das pioneiras no Brasil

Foto: Gustavo Tacaki / PML

Na manhã desta terça-feira (7), o prefeito Marcelo Belinati e o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (Ippul), Tadeu Felismino, anunciaram o envio do Projeto de Lei Municipal que denomina a área do entorno do Lago Igapó IV como Parque Ecológico Francisco Prestes Maia. A ação é uma homenagem ao arquiteto e urbanista e engenheiro civil que elaborou a primeira Lei de Zoneamento Urbano de Londrina e uma das pioneiras no Brasil.

Além do anúncio feito pelo prefeito, o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (Ippul) promoveu o debate “Diálogos Urbanos 2021”, no auditório da Prefeitura de Londrina. A transmissão do evento está disponível na página do Ippul no Facebook (www.facebook.com/ippul.londrina).

Foto: Gustavo Tacaki / PML

Prestes Maia foi contratado pelo primeiro prefeito eleito de Londrina, Hugo Cabral, para elaborar um plano urbanístico para Londrina. Além de um plano viário, o material continha as primeiras normas de parcelamento, uso e ocupação do solo para a cidade. Assim, em 1951, o arquiteto e urbanista previu a proteção dos fundos vales urbanos, determinando margens não edificáveis de 30 metros ao longo dos mais de 100 cursos d’água. Fato, este, que ajudou a preservar até hoje os diversos fundos de vale de Londrina.

Consequentemente, a homenagem ao arquiteto, urbanista e engenheiro civil marca também os 70 anos da promulgação da Lei Municipal nº 133/1951, elaborada por ele. Essa foi uma das primeiras do Brasil a se preocupar com a proteção dos fundos de vales e a estabelecer as regulamentações sobre os loteamentos do município de Londrina. “Essa é uma homenagem que Londrina devia ao Prestes Maia, que teve um papel tão importante na vida da cidade. Ele foi o autor da lei que permitiu que Londrina crescesse de maneira sustentável, sem perder qualidade de vida. Foi uma lei pioneira no Brasil e, graças a isso, permitiu que a cidade partisse de 30 mil habitantes para os 600 mil que temos hoje. E a cidade flui, funciona e tem poucos problemas comparativamente com outros municípios”, disse o presidente do Ippul.

Foto: Gustavo Tacaki / PML

Segundo o professor de arquitetura da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Fausto Carmelo de Lima, Londrina foi a primeira cidade do Brasil a fazer a preservação dos fundos de vale, o que apareceu no país somente com a Lei nº 6766, que é a lei de loteamento e que estabeleceu os mesmos parâmetros que já eram adotados em Londrina, para se evitar as inundações nas cidades.

Para o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, é importante que a população sempre esteja atenta aos cuidados que o desenvolvimento urbano do Município requer, seja participando de debates como o realizado hoje pelo Ippul ou sugerindo, criticando e ajudando a melhorar as políticas públicas, como vem acontecendo com os debates para a elaboração do Plano Diretor de Londrina e do Masterplan. “O Plano Diretor é uma grande oportunidade para o crescimento da cidade, onde temos que conciliar as opiniões divergentes para chegarmos a um ponto de equilíbrio, com menos burocracia e mais preservação do meio ambiente e qualidade de vida para todos. É a maior oportunidade que temos de discutir a lei geral e prepararmos Londrina para os próximos anos”, disse Marcelo.

Sobre o Parque Ecológico – O Projeto de Lei assinado hoje pelo prefeito visa criar a área do fundo de vale do entorno do Lago Igapó IV um Parque Ecológico. Naquela região, a Prefeitura de Londrina tem feito um grande projeto de revitalização, que contempla toda a hidrobacia do Cambezinho. Essas ações abrangem desde o início da hidrobacia, nas proximidades da Sociedade Rural do Paraná (SRP), e chega até o lago do Parque Municipal Arthur Thomas.

Foto: Emerson Dias / NCom

Ela abrange cinco lagos em áreas públicas, que são: Parque Arthur Thomas e os Lagos Igapó I, II, III e IV, além de um lago em uma área privada, nas proximidades da SRP. Isso torna a hidrobacia do Cambezinho a maior bacia dentro do perímetro urbano. Entre os seis lagos, o Lago Igapó IV o menor deles e servirá de laboratório. “Os lagos são os principais ativos ambientais, de lazer e de turismo do Município. Por isso, queremos aplicar esse projeto piloto no Igapó IV e testar as soluções baseadas na natureza”, disse Felismino.

Dessa maneira, para o desassoreamento do lago, por exemplo, ao invés de retirar os sedimentos e transportá-los para outro local distante, busca-se uma solução para depositá-lo nas proximidades e maneiras para que isso não volte a acontecer, como implantando caixas e sistemas de drenagem de água. “O desafio para os próximos anos do Município é o cuidado dos fundos de vale e das áreas para a população poder usufruir e habitar. A revitalização usando as soluções baseadas na natureza é uma proposta de ocupação desses espaços. É um novo jeito de pensarmos a ocupação dos fundos de vale. Então, será uma experiência que veremos como ela evolui. A expectativa é boa e sempre ficamos ansiosos, torcemos para que ela funcione”, disse Lima.

Sobre o homenageado – Prestes Maia foi uma pessoa notória em sua área. Foi duas vezes prefeito da cidade de São Paulo, nos anos 1930 e 1960, e um dos responsáveis pela consolidação da profissão de arquiteto e urbanista, ajudando a criar na maior cidade do Brasil o Plano de Avenidas de São Paulo. Também integrou a Sociedade de Arquitetura de Lisboa e a Sociedade de Arquitetos do Uruguai, onde publicou diversos trabalhos e foi professor universitário. Além do legado arquitetônico, Prestes Maia deixou um acervo de mais de 12 mil livros, que atualmente integram a Biblioteca Municipal Francisco Prestes Maia, em Santo Amaro (SP).

Fonte: N.Com