Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Prefeitura entrega melhorias no Museu de Arte de Londrina Prefeitura entrega melhorias no Museu de Arte de Londrina

Prefeitura entrega melhorias no Museu de Arte de Londrina

Friday, 31 de July de 2020
Categoria:

Espaço, tombado pelo Estado desde 1974, é um marco arquitetônico da cidade, projetado por Vilanova Artigas e Carlos Cascaldi

Foto: Vivian Honorato

Após sete meses de trabalhos, com investimentos de R$ 1,2 milhão em recursos públicos, a Prefeitura de Londrina entregou a obra de recuperação do Museu de Arte de Londrina. Para oficializá-la, o prefeito Marcelo Belinati esteve no local nesta sexta-feira (31) pela manhã. O prédio fica no quarteirão da Rua Sergipe, entre as Avenidas São Paulo e Rio de Janeiro, região central da cidade.

Foto: Vivian Honorato

O espaço é considerado um dos mais tradicionais e icônicos de Londrina. Ele abrigou originalmente a Estação Rodoviária da cidade, com projeto dos consagrados arquitetos João Batista Vilanova Artigas e Carlos Cascaldi. “É uma obra importante para a cidade, que desde 1952 faz parte do nosso patrimônio histórico-cultural. O local foi totalmente recuperado para que, quando a pandemia passar, possamos ter um espaço adequado para as pessoas visitarem, saberem mais sobre a história e a arte da cidade e os trabalhos feitos pelos artistas de Londrina”, explicou o prefeito.

Entre as melhorias realizadas no Museu de Arte estão a intervenção no telhado e esquadrias metálicas, pintura completa, adequação dos equipamentos de segurança, piso externo e calçada, troca de calhas e rufos, substituição total de vidros, para permitir maior conforto térmico, novos corrimãos e guarda-corpos, instalação de placas de sinalização, impermeabilização de coberturas, muros e paredes, entre outras intervenções.

Foto: Vivian Honorato

“Esse prédio é uma referência histórica para a cidade e nele foram feitas uma série de melhorias, desde a troca de vidros até a impermeabilização dos arcos e das brises e estruturas metálicas, ou seja, um conjunto de ações, para que tenhamos um bem revitalizado para nossa cidade”, reforçou o secretário municipal de Cultura, Caio Julio Cesaro.

O espaço ainda permanecerá fechado ao público devido às questões de prevenção e contenção à pandemia causada pelo novo coronavírus. “Temos que ter muita atenção com relação às situações que podem gerar aglomeração, mas ter a entrega dessa obra, que era esperada há muito tempo, é algo extremamente importante”, completou o secretário da pasta.

Foto: Emerson Dias

A presidente do Conselho Municipal de Cultura, Vanda de Moraes, lembrou também da importância do espaço para a memória histórica de Londrina. “Como já dizia o escritor, aqui foi o primeiro chão pisado por muitos ‘londrinenses’. Mesmo que a recuperação tenha sido parcialmente, ela já englobou a maior parte do espaço que tanto necessitávamos e deixou ele mais organizado”, frisou.

Por ser um bem tombado pelo governo do Paraná, os trabalhos de recuperação precisaram seguir o projeto desenvolvido em 2011. Segundo explicou o secretário de Cultura, as obras entregues hoje contemplam, nessa primeira etapa, a maior parte das intervenções previstas. “O projeto de restauração do Museu de Arte de Londrina existe desde 2011 e, após várias gestões, o prefeito Marcelo Belinati teve a sensibilidade de colocá-lo em prática. Há muitos anos o espaço não recebia intervenções dessa magnitude, importantes e necessárias para preservar o espaço, que é um marco de Londrina”.

Sobre isso, o presidente da Associação de Amigos do Museu de Arte de Londrina (A ASAM), Henrique Lhamas, lembrou que o Museu contava com diversas infiltrações e brincou que, devido ao tempo que elas estavam no prédio, já receberam até nome próprio. “A recuperação desse prédio histórico estava parada há muito tempo. Ele tinha muitas infiltrações, umas tão grandes que chegavam até a terem nome. E, agora, ele está restaurado. É muito gratificante ver isso!”, finalizou.

Foto: Vivian Honorato

Melhoria da região central – O prefeito citou também que a revitalização do Museu de Arte faz parte de um projeto maior de recuperação e melhoria de toda a região central. Entre os locais que já receberam atenção e estão mais bonitos e preservados estão a Rua Sergipe, a Biblioteca Pública Municipal, a Concha Acústica, a Praça Rocha Pombo e culminará com a reforma do Bosque Central. Este último, está na fase final de detalhamento dos projetos, por meio dos termos de referência dos materiais necessários à obra. Logo após, se iniciará o processo licitatório, que já conta com as autorizações ambientais necessárias para essa obra.

Além desses espaços mencionados, a revitalização do centro antigo conta com ações da iniciativa privada, como a reforma do Cine Vila Rica, antiga Associação Médica de Londrina, as melhorias que a Universidade Estadual de Londrina (UEL) tem executado no prédio do Museu Histórico da cidade, dentre outras.

Para a diretora do Museu Histórico de Londrina e professora do Departamento de História da UEL, Edméia Aparecida Ribeiro, a atual gestão merece ser parabenizada pelo envolvimento e esforço que tem dedicado à revitalização dos espaços da cultura no Município. “Só tenho a parabenizar essa gestão por ter se dedicado à revitalizar os espaços da cultura, que são importantes para a história dos municípios. São espaços amados pela população, que gosta de cultura, e essa revitalização do Museu de Arte, da Praça Rocha Pombo e de locais como o Museu Histórico são presentes para Londrina”, disse.

Foto: Vivian Honorato

Histórico – Finalizado em 1952, o prédio que abriga o Museu de Arte de Londrina foi planejado como marco arquitetônico na cidade, sediando a estação rodoviária. No ano de 1974, juntamente com a Praça Rocha Pombo, foi a primeira obra a ser tombada pelo Patrimônio Estadual e a primeira no interior do Paraná, destacando-se, de suas características, a expressão de novos conceitos arquitetônicos no projeto, construção e utilização de obra pública. Consta no Livro do Tombo Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico sob Inscrição Tombo 52-II, de 8 de dezembro de 1974.

Para homenagear o arquiteto, o espaço foi denominado “João Batista Vilanova Artigas”, via decreto municipal de 1985. Após restauro e adaptação, em 1993, o local passou a ser utilizado como sede do Museu de Arte, e assim permanece até hoje, sendo referência em diversidade de atrativos culturais e ponto turístico da região.

Fonte: N.Com