Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Prefeitos debatem desenvolvimento da região metropolitana de Londrina Prefeitos debatem desenvolvimento da região metropolitana de Londrina

Prefeitos debatem desenvolvimento da região metropolitana de Londrina

Monday, 07 de October de 2013
Categoria:

Na manhã de hoje (7), o prefeito de Londrina, Alexandre Lopes Kireeff, recebeu em seu gabinete os chefes do Poder Executivo dos Municípios da região metropolitana de Londrina e Apucarana, onde foi assinado um documento que será encaminhado, ainda esta semana, ao Banco Mundial para a elaboração de projetos de desenvolvimento econômico e social regional.

A ideia é desenvolver um planejamento integrado de toda a região metropolitana de Londrina e Apucarana levando em consideração ações para o desenvolvimento industrial, sistema viário, ambiental, turístico, educacional, médico e social. A reunião de hoje é fruto do encontro realizado na quarta-feira passada (2) em Brasília junto ao Banco Mundial.

“Nós convidamos os prefeitos para debatermos de forma conjunta o desenvolvimento regional. O processo foi aprovado por unanimidade. Hoje, elaboramos um documento, onde todos os prefeitos já assinaram e, ainda esta semana, vamos protocolar junto ao Banco Mundial para que tenhamos um planejamento em longo prazo para toda a região. Neste momento estamos falando de um planejamento para elaboração de projetos e disponibilização de recursos humanos capacitados para desenvolvê-lo”, disse Kireeff.

O coordenador da Região Metropolitana de Londrina, Victor Hugo Boselli Dantas, explicou que a iniciativa surgiu com o deputado federal, Alex Canziani, que em conversa com o Banco Mundial prospectou a possibilidade de desenvolvimento de um projeto macro com possibilidade de financiamento das ações.

“é um projeto macro de desenvolvimento para a região metropolitana, Apucarana e quem sabe a região dos lagos também, que é uma preocupação nossa há várias décadas. Hoje comunicamos os prefeitos e pretendemos ir a Brasília o mais breve possível para trabalharmos essas ações. Cada Município repassará as informações sobre suas necessidades como, por exemplo, sobre sistema viário, água esgoto, sistema pluvial, saúde, indústria e os técnicos do Banco Mundial farão um projeto unindo as necessidades. Não há ainda uma estimativa do valor que poderá ser investido”, afirmou Dantas.

Na semana passada, o prefeito de Jataizinho, élio Batista da Silva, esteve presente com Kireeff em Brasília para o encontro com o Banco Mundial e durante a reunião de hoje explicou que é importante para as cidades de pequeno porte se unirem as demais, porque assim os Municípios ganham força política e econômica. “A união das cidades garante mais força aos municípios, principalmente àqueles pequenos como é o caso de Jataizinho. Temos projetos para a área de segurança e tratamento de dependentes químicos que pretendemos desenvolver. Sentimos, durante o encontro em Brasília, que existe vontade da esfera federal e estadual em colocar em prática essas ações e, por isso, estamos preocupados em desenvolver ações”, esclareceu Silva.

Para o prefeito de Sertanópolis, Aleocidio Balzanelo, a dependências das cidades com a região metropolitana faz com que um Município ajude o outro e ambos se desenvolvam. “Somos vizinhos de Londrina e achamos ótima a iniciativa, porque precisamos de incentivos para desenvolvermos e fortalecermos a área econômica. é importante lembrar que uma cidade precisa da outra, pois algumas pessoas vêm a Londrina fazer tratamento médico, já alguns londrinenses vão as cidades vizinhas passar o fim de semana em suas chácaras próximas aos lagos, por exemplo. E como Londrina é um pólo mais desenvolvido, ela dá força para os Municípios menores”, lembrou Balzanelo.

O chefe do Poder Executivo de Cambé, João Dalmacio Pavinato, que também esteve em Brasília com Kireeff, acredita que este foi o primeiro passo para formalizar a intenção de angariar recursos financeiros para o desenvolvimento regional. Para ele, a partir de agora cabe aos prefeitos desencadearem os trabalhos com a identificação dos pontos que serão prioridades, aqueles que são as potencialidades da cidade e as necessidades da população.

Na avaliação do prefeito de Bela Vista do Paraíso, João de Sena Teodoro Silva, este processo de busca por recursos já está bem encaminhado e agora vai depender de cada cidade identificar suas necessidades e apresentá-las para o projeto macrorregional. No caso de Bela Vista do Paraíso há dois pontos que serão apresentados como prioritários que são: geração de emprego e investimento em saúde.

Para o prefeito de Arapongas, padre Antonio José Beffa, é importante participar dessas iniciativas, porque elas geram ações concretas, que significam mais investimentos para as cidades. Na região dos lagos, da qual Arapongas faz parte, há a necessidade de desenvolver o potencial turístico, um hospital regional e recomposição das rodovias que ligam os Municípios, pontos estes que serão apresentados no projeto macro.

Fonte: N.com