Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Prefeito divulga balanço da Covid-19 e anuncia ampliação de testes

Prefeito divulga balanço da Covid-19 e anuncia ampliação de testes

Tuesday, 12 de May de 2020

Durante a live, realizada ontem, foi apresentada a nova Central de Monitoramento de casos gripais e o início de mais testes para casos suspeitos

Foto: Reprodução

O prefeito Marcelo Belinati e o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, anunciaram na noite de ontem, domingo (10), o aumento de testes para a detecção do Covid-19, doença transmitida pelo novo coronavírus. A intenção é que sejam realizados cerca de 200 a 300 testes semanais com a ajuda do laboratório do Hospital Universitário de Londrina.

O objetivo é realizar testes em um número maior de pessoas, além de acompanhar aquelas com casos suspeitos através de um sistema de inteligência. Para isso, a Prefeitura de Londrina adquiriu os reagentes necessários para a testagem nos Estados Unidos e firmou um convênio com o Hospital Universitário. “Fizemos um convênio com o laboratório do HU, que vai possibilitar a alteração do protocolo de testagem, passando a ofertar essa oportunidade diagnóstica nas seis Unidades Básicas de Saúde específicas para problemas respiratórios, na UPA do Sabará e no Pronto Atendimento Infantil (PAI). Com isso, as pessoas que têm o coronavírus e que não estão diagnosticadas, passarão a ser”, explicou o secretário de Saúde.

De acordo com os dados mencionados no anúncio, a taxa de conversão de infectados pelo coronavírus é de 10 pessoas confirmadas para cada 100 testadas. Em Londrina, atualmente, essa taxa está em 7,8 pessoas. Os novos testes serão realizados em pessoas com sintomas de síndrome respiratória, sendo que ele será requerido pelo médico e o seu resultado deve sair em 24 horas.

Segundo o prefeito, Londrina é um dos municípios que mais testam os casos suspeitos da Covid-19. Isso é importante, pois para cada pessoa testada e confirmada a doença estima-se que existam outras 12 a 15 pessoas contaminadas que não sabem que estão com a doença. “Essa semana vamos ampliar o número de testes, o que vai nos possibilitar um controle maior da epidemia. Serão cerca de 1.500 testes por semana, o que dá em torno de 6 mil por mês. Vai aumentar o número de confirmações da doença, porque estaremos testando mais pessoas”, explicou Marcelo.

Central de Monitoramento de Casos – Para atender a população com quadro clínico gripal leve e sintomas como tosse, febre e coriza, a Prefeitura de Londrina instalou em uma das salas da Secretaria Municipal de Governo uma Central de Monitoramento de Casos Gripais. Ela funcionará de segunda a segunda, das 8h às 18h. Os profissionais da área da saúde, como médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e dentistas vão trabalhar nessa central e, com a ajuda de inteligência artificial, eles aplicarão um questionários às pessoas que tiverem suspeitas da Covid-19.

A função da central é facilitar o acompanhamento dos casos suspeitos, que vão colher exames, e monitorar o quadro clínico dessas pessoas. Para isso, os profissionais da saúde aplicarão um questionário e, conforme o sistema de tecnologia da informação indicar, eles telefonarão para o paciente para acompanhar a evolução do quadro clínico. “Criamos, em parceria com a Tecnologia da Informação, uma planilha com inteligência artificial. Ao passo em que vamos inserindo informações sobre os sintomas da pessoa, a planilha vai fazendo uma leitura e nos falando qual é o monitoramento e ações adequadas para cada caso clínico”, elucidou Machado.

Cerca de 200 a 250 pessoas são atendidas diariamente com quadros gripais ou suspeitas de coronavírus. A maioria são casos descartadas, porém aqueles com sinais de gripe, tosse, febre ou dificuldade para respirar também serão monitoradas.

Foto: Reprodução

Números atualizados – De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde foram confirmados 15 óbitos devido à Covid-19 em Londrina. O 15º falecimento confirmado é de um homem de 83, que foi internado no dia 21 de abril devido à necessidade de cuidados paliativos. A morte ocorreu no sábado (9) e foi confirmada na manhã desta segunda-feira (11). Até o momento, mais de mil casos suspeitos foram descartados; 66 são tratados como suspeitos; 88 pessoas já se recuperaram e 112 foram confirmados com o coronavírus.

Todos os dados e boletins atualizados do coronavírus em Londrina estão disponíveis na página da Prefeitura Municipal e podem ser vistos clicando aqui. Sobre esses números, o prefeito lembrou que a situação epidemiológica está sob controle, mas ainda depende do comportamento social e da atenção de todos. A estimativa dos especialistas é que a pandemia perdure de 13 a 14 semanas. No momento, em Londrina, ela está na 9ª semana epidemiológica.

“Vamos continuar repetindo sobre a importância de a população seguir as recomendações, porque precisamos da colaboração de todos para continuarmos nos prevenindo e preservando a vida. Vamos reforçar a necessidade do uso de máscaras, de evitar aglomerações e de ter cuidado com as fake news, porque o coronavírus é um problema muito sério. Milhares de pessoas estão perdendo a vida no Brasil e no mundo inteiro. Depois dessa pandemia o mundo vai mudar e as pessoas terão que se reinventar”, pontuou Marcelo.

Medidas de Prevenção – No Brasil, a cada um milhão de habitantes há 742 pessoas infectadas com o novo coronavírus. Em Londrina, esse índice é quase quatro vezes menor que a média nacional, visto que a incidência é 196 pessoas para cada um milhão. Grande parte desses números deve-se as medidas preventivas instauradas pela Prefeitura de Londrina, com a orientação dos representantes de hospitais, médicos, especialistas em infectologia e virologia e profissionais da saúde que compõem o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (COESP).

Uma das primeiras medidas adotadas foi a suspensão das aulas na rede pública municipal, evitando assim que mais de 40 mil crianças ficassem expostas ao novo vírus. Além disso, os alunos estão recebendo materiais para estudo direcionado em casa, através dos Kits escolares e das listas de transmissão feitas pelas diretoriais. O alimento ofertado como merenda escolar também está sendo distribuído às famílias mais vulneráveis.

Ao todo, mais de 20 mil cestas básicas foram distribuídas às famílias que estão passando por dificuldades financeiras e não têm condições para adquiri-las. A parceria com várias empresas têm ajudado o Município a amparar aqueles que mais precisam, inclusive quem vive em situação de rua.

Foto: Emerson Dias/Arquivo

A obrigatoriedade do uso de máscaras para a população em geral também foi outra medida pioneira. À frente de muitas cidades brasileiras, como São Paulo e Manaus, Londrina decretou o uso obrigatório do acessório de proteção desde o dia 15 de abril. Com isso, os cidadãos devem usar as máscaras de tecido no transporte coletivo, durante as atividades laborais, na prestação de serviços, no comércio, em atividades realizadas em ambiente fechado e para adentrarem em qualquer prédio público. Em torno de 300 mil máscaras já foram e continuam sendo fornecidas pela Prefeitura gratuitamente em diversos pontos da cidade.

Um Núcleo estratégico para a compra de insumos e equipamentos de saúde também foi criado na Prefeitura, para manter os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde protegidos. Aqueles que estão na linha de frente no combate ao coronavírus têm Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) em estoque para mais 120 dias, enter elas 20 mil máscaras N95 e outras 400 mil mais simples.

Foto: CMTU/Arquivo

A Prefeitura, por meio da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), também fez a desinfecção do calçadão, terminais urbanos, de áreas mais utilizadas pela população no centro da cidade e intensificou a limpeza de ônibus do transporte coletivo, para higienizar as superfícies e as áreas de contato a fim de reduzir a possibilidade de transmissão do novo coronavírus.

vacinação contra a gripe também conseguiu imunizar 15 mil idosos com mais de 80 anos na própria residência do idoso e fez a operação de vacina em Drive Thru onde o público-alvo não necessitava sair do carro para receber a imunização. Com isso, Londrina chegou a mais de 100 mil cidadãos e crianças vacinadas.

Para reforçar a rede de atendimento em saúde também foram contratados mais de 500 profissionais; instaladas seis Unidades Básicas de Saúde exclusivas para casos suspeitos de Covid-19; destinou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Sabará específica para a triagem de quadros clínicas gripais.

Fonte: N.Com