Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
?Para além das fronteiras do Hip Hop? movimenta o Vista Bela II

?Para além das fronteiras do Hip Hop? movimenta o Vista Bela II

sexta, 10 de junho de 2016
Categoria: noticia

Evento é aberto à comunidade e traz atrações de música,
contação de histórias, teatro e oficina

Neste domingo (12), a partir das 15 horas, será realizado o
sarau de rua “Para além das fronteiras do Hip Hop”, no Residencial Vista Bela
II, na região norte de Londrina. O dia vai ser repleto de atrações culturais,
incluindo contação de histórias com a artista Edna Aguiar, espetáculo de teatro
“Poeta que pariu”, da Cia.Teatro de Garagem, exposição de fotografias, além de
música com DJ Frá, Azmina, Valdir Sujim, Cassiano (Família IML) e sessão de
microfone aberto. O evento é aberto ao público e irá ocorrer na Rua Oribe
Frigeri.

O sarau é coordenado pelo rapper Leandro Palmerah e faz
parte do projeto “MH2 Música e Hip-Hop”, que conta, pelo segundo ano
consecutivo, com patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura
(Promic). “A finalidade principal deste projeto é ensinar música e cultura do
Hip-Hop para crianças e adolescentes da região através de oficinas e eventos.
No sarau de domingo (12) também teremos uma oficina de confecção de pipas,
corte de cabelo para as crianças e um café da tarde comunitário para integrar o
público”, informou Leandro.

Atividades – Dentro
do projeto, todos os sábados, às 16 horas, são realizadas duas oficinas
gratuitas em espaços abertos do bairro Vista Bela II. No curso “A Canção e seus
Sentidos”, João de Carvalho, que é músico e professor da UEL, ensina
instrumentos musicais, como violão e flauta, para crianças e adolescentes.

Já a oficina Para além das fronteiras do Hip-Hop’,
ministrada por Leandro Palmerah, abrange os aspectos dessa cultura com a
cultura popular, culturais regionais, outros gêneros, além da influência de
aspectos do candomblé, literatura de cordel, entre outros elementos.

Em 2015, o projeto realizou, além das oficinas, quatro
eventos com diversas linguagens artísticas: rap, grafite, teatro, dança e
literatura. “Em 2016, estamos ampliando o leque de ações, indo além da música,
com a realização de debates e rodas de conversa sobre temas do cotidiano como a
violência, a liberdade feminina, a arte de rua, entre outras questões que fazem
parte do dia a dia dessas pessoas”, contou.

Novos eventos estão sendo articulados e devem ocorrer este
ano. Entre eles, uma festa junina, um desfile da cultura negra, ações de
grafitagem e pintura pelo bairro, e encontros para debates.

Fonte: N.Com