Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
O que você provavelmente não sabia sobre as orquídeas

O que você provavelmente não sabia sobre as orquídeas

Tuesday, 19 de February de 2019
Categoria:

Para além da beleza, as orquídeas realizam importantes tarefas na natureza

As orquídeas são conhecidas pelo homem principalmente por causa das lindas flores, utilizadas para ornamentar casas e jardins. Para além da beleza, no entanto, as orquídeas realizam importantes tarefas na natureza e participam de relações ecológicas complexas, o que dá ainda mais relevância para esse grupo, além de possuírem curiosas características.

Para começar do início: a família das orquídeas é a maior entre aquelas plantas com flores, conhecidas como Angiospermas. As 25 mil espécies estão espalhadas por todo o globo terrestre — exceto na Antártica. Só no Brasil, existem cerca de 2590 espécies. Elas são mais frequentes nos trópicos e o país com o maior número de orquídeas é o Equador, com mais de 3.549 plantas, seguido por Colômbia, com 2.723 e Nova Guiné, com 2.717.

O nome orquídea deriva da junção entre as palavras gregas “Órkhis” que significa testículo e “Eidos”, que denota algo que tem aspecto ou forma. Portanto, a tradução literal seria “em forma de testículos”. Acredita-se que essa comparação tenha se dado por meio do primeiro gênero descrito de orquídeas, chamado de “Orchis”. As plantas desse grupo possuíam pequenos bulbos, o que deu origem à semelhança com os testículos. Ao longo do tempo, essa denominação se espalhou para todas as outras orquídeas.

Cobiçadas por colecionadores e orquidófilos, as raras orquídeas são adquiridas por pequenas fortunas. As propostas de flores online acontecem por meio de leilão. A orquídea mais cara já vendida foi a Shenzhen Nongke, arrematada em um leilão por um comprador anônimo no ano de 2005. A quantia desembolsada foi de 193.150 euros, o equivalente a cerca de 809.389 reais. Ela foi produzida em laboratório e por este motivo é tão exclusiva e cara.

O que você provavelmente não sabia sobre as orquídeas

Foto: Divulgação

Apesar de existir uma grande variedade de orquídeas, para o Homem elas se restringem basicamente à decoração de casas e jardins. O gênero Vanilla tem a capacidade de produzir baunilha, mas o custo acaba sendo elevado e o setor opta por outros meios como a produção do sabor de forma artificial. Para o equilíbrio da natureza, contudo, as orquídeas são essenciais e desempenham uma série de funções.

Funções das orquídeas na natureza

As interações mais conhecidas dessas plantas com a natureza são as de polinização. Abelhas, borboletas, beija-flores e até mesmo ratos procuram por substâncias chamadas de recursos de polinização, como o néctar, pólen e fragrâncias. Portanto, além da beleza, essas flores são essenciais para a manutenção do ciclo de vida de diversos outros organismos presentes na natureza.

Em alguns casos, as orquídeas acabam por enganar os próprios polinizadores, dando sinais da presença de recursos de polinização, quando na verdade não possuem quaisquer substâncias. Outra armadilha acontece com o labelo, uma pétala modificada da flor da orquídea. O fato de ter cores, cheiro e forma semelhante às fêmeas de uma determinada espécie de abelhas faz com que o macho confunda essa parte da flor com uma possível parceira e tenta copular com a falsa abelha.

Ao contrário do que muitos imaginam, a maioria das famílias de orquídeas não são parasitas de troncos de outras árvores e sim epífitas. Isso significa dizer que elas só utilizam os troncos para alcançar a luz solar de forma mais eficiente, sem lhes causar qualquer prejuízo. Dentre os vários tipos de orquídeas, existem as terrestres, arbustivas, litófitas (crescem em pedras), psamófitas (crescem na areia), saprófitas (se alimentam de restos vegetais ou animais em decomposição) e aquáticas — nesse último caso, a única espécie conhecida é a Habenaria repens, na Costa Rica.

A maior orquídea do mundo é a Vanilla pompona, com cerca de 20 metros de comprimento. No Brasil, a maior já encontrada foi a Epidendrum scalares, nos estados de Minas Gerais e Bahia, com seis metros de altura. Outra curiosidade sobre essas plantas é o fato de serem capazes de produzir o próprio alimento. Por essa característica, são consideradas plantas autótrofas. Elas transformam a água e o gás carbônico em oxigênio e carboidratos.

Além de todas essas curiosidades e funções, o plantio de orquídeas também foi utilizado no Brasil para combater o mosquito da Dengue. Esse projeto foi iniciado na cidade de Umuarama, no estado do paraná. Em 2018, a secretaria da saúde, por meio dos agentes ambientais, plantou 2.113 mudas em 1.608 árvores onde haviam ocos com potencial para acumular água. O objetivo é ampliar a realização dessa iniciativa.

Fonte: Divulgação