Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Nobreaks em semáforos podem desafogar trânsito nos centros urbanos

Nobreaks em semáforos podem desafogar trânsito nos centros urbanos

Tuesday, 17 de May de 2016
Categoria:

Equipamento garante uma autonomia de 6h de funcionamento em
caso de falta de energia elétrica; Nos semáforos pode desafogar trânsito nos
centros urbanos

André Rodrigues/Arquivo/Gazeta do Povo

Dirigir de casa para o trabalho, ou do trabalho para a casa
pode levar alguns minutos, ou algumas horas preciosas. Grande parte desse tempo
gasto no trânsito pode ter como origem os congestionamentos que ocorrem
diariamente, em diversos pontos dos centros urbanos e em horários variados. E a
razão que mais contribui para as imensas filas de carros é a falta de energia
nos semáforos.

Segundo a coordenadora de marketing da NHS, empresa
fabricante de nobreaks há 27 anos, Débora Skrobot, uma alternativa viável para
garantir o funcionamento constante de sinaleiros é a inclusão de nobreaks –
aqueles aparelhos que mantém os equipamentos funcionando mesmo sem energia –
aos semáforos, o que possibilita, ainda, a segurança e a fluidez do trânsito e
do transporte público. “Em casos de queda de energia, esses equipamentos são
acionados automaticamente e os semáforos continuam funcionando normalmente por
um período de até 6h, sem interrupções” afirma.

Para Débora, a medida pode ser interessante para o bom
funcionamento da mobilidade urbana, pois a cada cruzamento que conte com
nobreak instalado, raramente será necessário o deslocamento de equipes de
trânsito até o local por conta de uma eventual falta de energia. “Um nobreak
NHS, podem atender até 10 semáforos ao mesmo tempo”, afirma a gestora.

Como comparação, a cada semáforo que para de funcionar em um
centro urbano por falta de energia, os órgãos que fiscalizam o serviço enviam
cerca de dois a cinco agentes de trânsito para atuar em um cruzamento com
sinaleiro apagado, e esse número pode aumentar ainda mais dependendo do
movimento e quantidade de fluxos de trânsito a serem controlados.

A tendência já vem se tornando realidade em vários Estados
brasileiros. Segundo Débora, a utilização de nobreak em semáforos já vem de
longa data, mas só agora vem sendo utilizados equipamentos nacionais. “A
tecnologia já existe há uns 20 anos no Brasil, porém anteriormente eram usados
somente equipamentos importados. Entretanto, nos últimos anos, houve um
crescimento na procura por nobreaks nacionais. Hoje, a NHS, por exemplo, já
disponibiliza a tecnologia com mais de 100 equipamentos instalados em cidades
polos como Curitiba, além de Foz do Iguaçu, Maringá, Londrina, Apucarana,
Paranaguá, no Paraná, Recife, no Pernambuco e nas cidades paulistas de São
Paulo, Embu das Artes, Fernandópolis e Campinas, no interior do estado de São
Paulo”, comenta.

Fonte: Divulgação