Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Medidas de higiene ajudam a prevenir a disseminação do novo coronavírus Medidas de higiene ajudam a prevenir a disseminação do novo coronavírus

Medidas de higiene ajudam a prevenir a disseminação do novo coronavírus

Monday, 21 de September de 2020
Categoria:

Alguns cuidados individuais básicos podem impedir que o vírus se espalhe; confira dicas do médico infectologista Fábio Crespo, da Secretaria de Saúde

Foto: Emerson Dias

A COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus, tem capacidade de se espalhar rapidamente e, muitas vezes, é transmitida quando o doente ainda não apresenta sintomas. Por isso, medidas de prevenção ainda são o melhor meio para evitar contrair o vírus. Lavar as mãos frequentemente ou higienizá-las com álcool 70%, limpar alimentos e embalagens que chegam da rua, pode fazer a diferença, já que a principal forma de contrair o vírus é levar a mão contaminada ao nariz, olhos e boca.

Foto: Emerson Dias

O médico infectologista Fábio Crespo, da Secretaria Municipal de Saúde, respondeu dúvidas comuns e deu algumas dicas de cuidados de higienização, importantes para a prevenção. Ele explicou que a lavagem constante das mãos é fundamental, pois tocamos frequentemente em muitas superfícies durante o dia e diversas vezes no rosto, mesmo sem perceber. “Quando não é possível fazer a lavagem, o certo é passar álcool em gel nas mãos durante 60 segundos, pois isso diminui em até 10mil  a quantidade de vírus na superfície”, contou.

Também é importante adotar alguns cuidados com as embalagens de produtos trazidos de mercados ou farmácia, por exemplo. O mais recomendado é higienizá-las com álcool 70% ou hipoclorito de sódio a 0,1%, que pode ser feito diluindo 100 ml de hipoclorito de sódio a 1%, que é o cloro, em 900 ml de água. “Com relação às embalagens, é válido informar que após 48 horas em que ela ficou armazenada, a carga viral diminui cerca de 10mil vezes, na maior parte dos materiais. Então, se fizer uso após esse tempo, não é necessário uma higienização tão rigorosa”, explicou.

Foto: Emerson Dias

Aparelhos como o celular, que pode conter muita contaminação, assim como teclado, mouse e controle remoto, por serem usados por várias pessoas e acumularem sujeiras, precisam ser limpos com constância. O mais indicado é fazer a limpeza com álcool isopropílico, que limpa melhor e evapora muito rápido sem deixar resíduos.

O infectologista orienta que as frutas in natura, principalmente as consumidas com casca, devem ser lavadas com água e sabão ou deixadas no hipoclorito de sódio a 0,1%, por até 10 minutos, e depois enxaguá-las com água, assim como as verduras. “Com relação aos ovos, a limpeza com água e sabão pode ser feita apenas no momento do consumo, pois a lavagem pode causar dano à película microscópica que recobre a casca, facilitando a entrada de bactérias”, disse.

Foto: Emerson Dias

Também é importante adotar cuidados ao ir aos mercados e farmácias, como utilizar máscaras de proteção, obrigatórias em Londrina, aumentar a higienização das mãos e respeitar o distanciamento entre as pessoas. Ao chegar da rua, principalmente de ambientes com muita circulação de pessoas ou alto risco de infecção, como serviços de saúde, vale a pena tomar banho e trocar a roupa. “Não é necessário colocar a roupa imediatamente para lavar, apenas armazenar em locais separados das roupas limpas ou que não foram usadas”, apontou.

Com relação aos sapatos, Crespo explicou que não existe uma comprovação que de eles podem contribuir com a infecção pelo vírus, já que a transmissão é principalmente respiratória, contudo, deixar os sapatos em lugares separados ajuda a diminuir a sujidade trazida da rua. “Não é necessário fazer higienização específica, nos calçados, pelo fato da carga viral diminuir em 10mil vezes, na maioria dos materiais, sem higienização específica. Já os profissionais de saúde e pessoas que trabalham em áreas de maior risco devem ter um sapato separado para trabalhar”, afirmou.

Também é necessário adotar medidas especificas, quando há familiares infectados na mesma casa. O mais indicado é que o paciente fique em um cômodo separado, mantendo a porta fechada e a janela aberta para ter ventilação e entrada de luz solar. Também é importante usar máscara dentro da residência, evitar fazer as refeições com os demais familiares e limpar superfícies como as maçanetas. A pessoa infectada também deve trocar a própria roupa de cama e, caso haja secreções na roupa de cama, ela deve embalar em um saco plástico antes de levar à máquina de lavar ou ao tanque.

Fonte: N.Com