Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Londrina ganha hoje o Viaduto da Dez de Dezembro Londrina ganha hoje o Viaduto da Dez de Dezembro

Londrina ganha hoje o Viaduto da Dez de Dezembro

Friday, 17 de July de 2020

Estrutura é uma das maiores obras da área urbana da cidade nos últimos anos e obteve cerca de R$18 milhões em investimentos

Foto: Vivian Honorato

Será liberado, nesta sexta-feira, o viaduto da Avenida Dez de Dezembro, no cruzamento com a Avenida Leste Oeste. A estrutura com custo final aproximado de R$18,1 milhões entra em funcionamento com todas as alças de acesso, desafogando o tráfego na principal via de ligação entre as regiões sul e norte de Londrina. O  prefeito Marcelo Belinati avalia que os benefícios para a área acontecerão em vários aspectos – na fluidez do trânsito, na segurança de pedestres e veículos, na valorização comercial de toda região, no embelezamento do entorno, na facilitação de acesso a pontos tão importantes como a Rodoviária e o anel central da cidade.

O viaduto vai reduzir o tempo de trajeto no cruzamento da Dez de Dezembro com a Leste Oeste, especialmente no horário de maior movimento, entre 17h30 e 18h30. Na nova pista, superior, permanece o motorista que for seguir pela via expressa, desafogando o fluxo de veículos na rotatória, que segue na pista antiga. Dados do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (IPPUL) mostram que, somente no horário de pico, o trecho recebe 2.000 veículos por hora, em cada sentido da Dez de Dezembro. Pelas avenidas Leste Oeste e também pela Theodoro Victorelli, são outros 600 veículos por hora. Isso totaliza 5.200 veículos trafegando no cruzamento, no decorrer de 60 minutos.

Amplitude – O novo viaduto é uma das maiores obras viárias da cidade, com 3.337m² de área construída e 277 metros de extensão, sendo 161 metros só do viaduto e outros 116m das duas rampas de acesso. A 5,5 metros do solo, a pista superior atinge 7,5 metros de altura, e a obra contemplou cerca de 16.800 m² de área pavimentada. Para executar esta intervenção urbana, a Prefeitura contou com financiamento do Programa Pró-Transporte, em recursos oriundos do governo federal somados à contrapartida do Município. O secretário municipal de Obras e Pavimentação, João Verçosa, reforça que o andamento da obra foi um grande desafio. “Superamos as dificuldades que surgiram, porque este viaduto foi um compromisso firmado com os londrinenses. A região precisava muito dessa intervenção. E, agora, temos plenas condições de usufruir dessa obra moderna, segura e que trará muitos benefícios a toda cidade”, destacou.

Foto: Vivian Honorato

Segundo o secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada, além de reduzir o tempo de percurso, o viaduto vai permitir um fluxo maior de veículos, tornando o trecho uma opção prioritária tanto para quem vai seguir pela Dez de Dezembro, independente do sentido, como para quem percorre as avenidas Leste Oeste e Avenida Theodoro Victorelli. “É a maior obra viária da área urbana de Londrina nas últimas duas décadas, ou até mais. Será um novo cartão postal da cidade, trazendo melhorias no fluxo dos veículos, e mais segurança para nossa população, com todas as medidas preventivas adequadas”, afirmou.

Canhada explicou que o prazo inicial de conclusão da obra, 450 dias, foi estendido por conta de dificuldades que surgiram na execução, como as pedras bolas identificadas durante trabalhos de fundação, e a importância de manter acesso aos estabelecimentos comerciais no entorno. “Tivemos sim alguns contratempos, mas o mais importante é que Londrina terá uma estrutura de qualidade e muito segura. E a Prefeitura levou em consideração o comércio da região, por isso optou por não fazer uma interdição que impedisse o tráfego total nessa área, para amenizar os impactos, o que tomou mais tempo. Assim, a construtora seguirá por mais algumas semanas, fazendo pequenos serviços, enquanto as pistas estarão liberadas”, citou.

Linha do tempo – A licitação para instalação de um viaduto na Avenida Dez de Dezembro, bem no cruzamento com a Leste Oeste, iniciou em 2017. O projeto selecionou a Via Expressa para receber a intervenção com o objetivo de ampliar ali as opções de transporte coletivo, já que a via funciona como um corredor rápido, interligando as regiões mais populosas da cidade, sul e norte.

Com um teto máximo de R$21.058.956,15, a licitação, em Concorrência Pública, teve seis concorrentes e foi vencida pela empresa maringaense Hejos Construções Civis. O valor definido à época foi de R$17.651.553,75, representando uma economia de mais de R$3 milhões aos cofres públicos. O prazo estimado para conclusão foi de 15 meses, ou 450 dias corridos, contados a partir da entrega da ordem de serviço.

O prefeito Marcelo Belinati autorizou o início da obra em agosto de 2018. Na ocasião, Marcelo frisou que o viaduto era importante para estruturar a cidade e o futuro de Londrina. As atividades iniciais envolveram topografia, concretagem do muro de arrimo, remanejamento de rede elétrica, galerias pluviais, construção das alças de acesso, fundação para a estrutura em concreto armado, e a transferência do monumento “O Passageiro”. Com o avançar dos trabalhos, o trânsito sofreu interdições parciais e, na sequência, totais, com desvios para vias próximas, de forma a viabilizar o andamento dos serviços.

Apesar do planejamento e fiscalização constante, condições adversas, como as chuvas, ampliaram o prazo previsto. O mau tempo impedia a realização de serviços importantes, como aterro, compactação e recape asfáltico, e foi preciso fazer adequações no projeto da obra. Além disso, a descoberta de pedras bola sob o solo, no final de 2018, impediu o avançar dos trabalhos de fundação, já que os equipamentos disponíveis não comportavam a condição. A situação foi superada com o uso de estacas-raiz, que contornaram as pedras bolas, mas ainda assim a conclusão da obra precisou ser adiada.

Em julho de 2019, mais uma fase importante teve início, com a execução das rampas onde ficam as cabeceiras do viaduto. Houve novas interdições do trânsito, mais precisamente na rotatória. Ao mesmo tempo, a construtora instalou galerias pluviais e fez pavimentação da pista. A estrutura do viaduto, em concreto armado, já era visível no final de 2019, com 55% da conclusão atingidos no mês de novembro.

No primeiro semestre de 2020, o viaduto já estava completamente instalado, tendo inclusive a liberação do trânsito em pequenos trechos e alças de acesso. Os principais serviços realizados, ao longo dos meses, incluíram pavimentação e capa asfáltica, sinalização viária, fresagem da pista e instalação de barreiras em concreto.

Entre os meses de junho e julho, os principais serviços executados foram a remoção de antigos postes, com colocação da capa asfáltica nos trechos faltantes. Seguirão em andamento, até agosto, a colocação das placas no gramado, a pintura do viaduto, e instalação de iluminação cênica. Essas lâmpadas LED, que serão cobertas por placas metalizadas, serão coloridas para divulgação de campanhas de conscientização e prevenção, como Outubro Rosa, Novembro Azul, Setembro Amarelo, entre outras.

Fonte: N.Com