Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Londrina é a primeira cidade do sul do Brasil a receber a tecnologia 5G Londrina é a primeira cidade do sul do Brasil a receber a tecnologia 5G

Londrina é a primeira cidade do sul do Brasil a receber a tecnologia 5G

Friday, 13 de August de 2021

Município é o terceiro brasileiro a instalar e realizar testes com a antena da tecnologia 5G; por isso, recebeu hoje a vinda dos Ministros das Comunicações e da Agricultura

Foto: Vivian Honorato

Nesta quinta-feira (12), o prefeito Marcelo Belinati recebeu o Ministro das Comunicações, Fábio Faria; a Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias; o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior; e outras autoridades para o lançamento da internet 5G. Londrina é a primeira cidade do sul do Brasil a receber a tecnologia e terceira do país. O evento de lançamento e demonstração da tecnologia foi na Embrapa Soja, localizada na Rodovia Carlos João Strass, no Distrito da Warta, a 20 km do centro de Londrina.

Foto: Vivian Honorato

Durante o lançamento foram apresentadas várias tecnologias, onde a conectividade da internet 5G permitirá um aumento de produtividade e rentabilidade, minimização de custos de produção e preservação dos recursos ambientais. “Nós estamos tendo a honra de sermos um dos polos para iniciar esse projeto, que vai mudar de vez com a tecnologia. Na área da medicina, por exemplo, o 5G vai transformar para melhor as cirurgias robóticas e vai salvar vidas, e na área do comércio e da  indústria vai fomentar empregos e novos negócios. É um momento que honra muito grande para Londrina. Isso é a cereja do bolo, que vem coroar o Brasil que deu certo”, disse o prefeito Marcelo Belinati.

O prefeito, em seu discurso, agradeceu aos ministros, o governo Federal, o governador Ratinho e a deputada Federal, Luísa Canziani, que foi uma das articuladoras da vinda do 5G para Londrina.

Já no agronegócio, a nova tecnologia possibilitará a implantação de uma central de operações de máquinas agrícolas, que pode monitorar o desempenho de plantadeiras, pulverizadores e colheitadeiras autônomas em tempo real, com segurança e de forma remota, ou seja, à distância. Por meio das informações repassadas à central de inteligência será possível tomar decisões que ajudem a corrigir determinadas imperfeições no plantio, por exemplo. Além disso, com voos de drones será possível identificar que tipo de inseto e praga há na lavoura e repassar os dados diretamente para escritórios, que analisarão e indicarão quais produtos químicos devem ser aplicados, em quais doses e em quais locais.

Para demonstrar as possibilidades, a Embrapa organizou uma ligação por videochamada, utilizando uma tecnologia imersiva de realidade virtual aumentada. Um pecuarista que estava com os animais no campo fez a chamada e enviou os dados remotos para dois médicos veterinários que estavam em outras cidades.

Foto: Vivian Honorato

Ao conseguir enxergar os animais e obter os dados técnicos sobre eles, mesmo à distância, os especialistas ajudaram o pecuarista a decidir qual dos animais seria o mais indicado para a reprodução. “O agricultor estará conectado e recebendo a tecnologia mais avançada disponível para ele. Estamos preocupados com o pequenos produtores rurais e eles vão poder receber essa tecnologia. Isso vai aumentar a produtividade e a renda no campo, não só dos grandes, mas também dos pequenos. É a democratização da tecnologia”, acredita a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

Foto: Vivian Honorato

Para o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, além da democratização da tecnologia, o 5G irá revolucionar o trabalho no campo, pois trará mais competitividade com o uso da inovação tecnológica e um grande projeto para o Estado e para o país.

“A agricultura saiu da enxada, foi para o trator e, agora, para o celular e computadores. A tecnologia 5G (com a alta velocidade que ela tem e precisão na sua troca de mensagens e comunicação audiovisual) vai ajudar a levar a agricultura de precisão de forma mais rápida e moderna, consolidando o Paraná como o maior produtor de alimentos do planeta”, afirmou Ratinho Junior.

O 5G abre portas para o alavancamento do uso de tecnologias digitais, tanto na agricultura quanto na pecuária, e deve ajudar a fomentar o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, em valores monetários, o PIB nacional somou R$ 7,45 trilhões em 2020 e o PIB do agronegócio chegou a quase R$ 2 trilhões.

Foto: Vivian Honorato

“O Agro já tem crescido muito no Brasil, contribuindo para o aumento do PIB brasileiro e nosso crescimento em relação a outros países. Temos certeza que com o 5G vamos crescer entre 10 e 20% do PIB do agro. Os Ministérios das Comunicações e da Agricultura estão irmanados, porque tudo que vier do agronegócio, virá com 5G com cobertura total”, pontuou o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

Sobre isso, o CEO da Nokia Brasil, Ailton Santos, explicou que ao viabilizar diversos avanços para a agropecuária, a internet 5G cria um novo marco de desenvolvimento tecnológico e realmente abre caminho para inúmeras possibilidades de inovação, aumentando competitividade que as redes 5G habilitam. “Estamos trazendo o futuro para o presente e convidamos o país a viver essa oportunidade de um novo ciclo tecnológico. Segundo estudos que realizamos o 5G pode trazer R$ 1,2 trilhão de dólares em 15 anos, o que equivale a 1% do PIB do Brasil, e ajuda muito o setor agropecuário, que hoje representa mais de 26% do PIB nacional”, explicou o CEO da Nokia.

Para que o avanço seja possível é preciso que haja um ecossistema de inovação, que dê sustentação para as empresas de base tecnológica, por isso Londrina foi uma das seis cidades selecionadas pelo Ministério das Comunicações para sediar o projeto-piloto, pois, é considerada um berçário de startups e de soluções. “Londrina é a pujança da inovação e tem avançado muito. O Brasil fez uma fantástica transformação nessas últimas cinco décadas, saindo de um país que importava alimentos, para se tornar o maior produtor de alimentos, fibras e bioenergias. Fizemos isso com tecnologia e inovação e com a força do agro e dos produtores. A agricultura brasileira alimenta 800 milhões de pessoas no mundo e exportamos para mais de 170 países e esse ano vamos passar no valor bruto da produção de mais de R$ 1,3 trilhão. A agricultura digital hoje usa drones, sensores, inteligência artificial e internet das coisas”, lembrou o presidente da Embrapa, Celso Luiz Moretti.

Já o ex-ministro das Telecomunicações e representante do Fundo Investimento em Participações Bordeaux MultiEstrategias da Sercomtel, Hélio Costa, acredita que é um momento histórico para o Paraná, visto que há a união da empresa londrinense Sercomtel, com a empresa finlandesa Nokia e a paranaense Embrapa Soja, para levarem a tecnologia ao campo, impulsionando a economia regional, visto que Londrina está em posição geográfica favorável ao agronegócio.

Foto: Vivian Honorato

O lançamento da internet 5G em Londrina faz parte da série de projetos-piloto de conectividade, promovidos pelo Ministério das Comunicações, do Governo Federal, cuja intenção é mostrar à população as soluções em desenvolvimento e as iniciativas já disponíveis, impactadas positivamente pela qualidade da conexão 5G no campo. Londrina foi escolhida para receber esse projeto-piloto, porque desde novembro de 2019 é sede do Polo de Inovação do Agro, instalado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Ela será a única cidade da região sul a receber a tecnologia 5G e terceira brasileira a instalar a antena dessa tecnologia. Antes dela, os municípios de Sorocaba (SP) e Rondonópolis (MT) inauguraram o equipamento.

Ao todo, fazem parte desse projeto de conectividade, os Municípios de Londrina (PR), Rondonópolis (MT), Padef (DF), Uberaba (MG), Ponta Porã (MS), Rio Verde (GO), Petrolina (PE) e Bebedouro (SP). Em termos de benefícios, a transmissão e o recebimento de dados com a 5G é mais veloz. As redes 3G, por exemplo, transmitem dados na ordem de 0,12 a 6 Mbps. Já o 4G permite a troca de informações a uma velocidade entre 5 Mbps e 12 Mbps, enquanto o 5G estima-se que pode chegar a 100 Mbps.

Entre as diversas autoridades presentes no evento, estiveram o vice-prefeito João Mendonça; o chefe de gabinete, Moacir Sgarioni; os secretários de Governo, Alex Canziani; da Agricultura e Abastecimento, Regis Choucino; e da Defesa Social, Pedro Ramos, além dos presidentes da Sercomtel Iluminação, Cláudio Tedeschi; da CTD, Luciano Kuhl e da Codel, Bruno Ubiratan.

Fonte: N.Com