Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Londrina é a primeira cidade do Brasil a firmar parceria com a Microsoft Londrina é a primeira cidade do Brasil a firmar parceria com a Microsoft

Londrina é a primeira cidade do Brasil a firmar parceria com a Microsoft

Monday, 08 de November de 2021

Com o acordo, a maior empresa de tecnologia do mundo dará cursos on-line para os londrinenses interessados em trabalhar com tecnologia da informação

Foto: Vivian Honorato / NCom

Na manhã desta sexta-feira (5), o prefeito Marcelo Belinati e a vice-presidente da Microsoft Brasil e líder das comunidades de Diversidade e Inclusão da empresa, Alessandra Karine Erthal, anunciaram uma parceria inédita no Brasil, em prol da capacitação profissional na área de Tecnologia da Informação (TI). O anúncio foi feito na sede administrativa da Prefeitura e torna Londrina a primeira cidade do Brasil a firmar esse acordo.

O objetivo é ofertar 45 cursos gratuitos e on-line produzidos pela maior empresa de tecnologia do mundo, a Microsoft. Para isso, ela disponibilizará uma plataforma específica, em que os cursos estarão traduzidos para o português e ajudarão os participantes a aprimorar os conhecimentos e obter novas formas de trabalho. Os cursos são acessíveis também para as pessoas com deficiência visual. Será disponibilizada a plataforma desenvolvida pela Microsoft, denominada “Escola do Trabalhador 4.0”, uma plataforma de ensino remoto do Ministério do Trabalho, que inclui cursos da Microsoft por meio da ferramenta Microsoft Community Training.

Foto: Vivian Honorato / NCom

Segundo Erthal, entre os pontos que chamaram a atenção da Microsoft para a cidade de Londrina estão o grande número de universidades e polos de ensino superior e técnico que existem no município, assim como a estrutura do ecossistema de inovação, a presença do Hub de Inovação e o Tecnocentro. “Londrina é a primeira do Brasil com quem a gente assina a cooperação técnica no Brasil. Vamos trazer cursos que chamamos de educação digital até aqueles com níveis mais altos, como de inteligência artificial. Esse é o primeiro passo que estamos dando, para uma parceria de longo prazo que esperamos ter. Escolhemos Londrina, porque a cidade nos mostrou todo seu potencial, mas esperamos que tenham mais cidades assim, porque queremos ver o crescimento do país”, contou vice-presidente da Microsoft Brasil.

Foto: Vivian Honorato / NCom

Para o prefeito Marcelo Belinati, a parceria mostra o bom momento que a cidade está vivendo na geração de trabalho, emprego e renda e no desenvolvimento tecnológico. “A Microsoft é a empresa do Bil Gates e a maior de tecnologia do mundo. Ela está vindo a Londrina, por meio da parceria, na qual dará a plataforma que tem para a qualificação profissional. E, nós da Prefeitura, com a nossa Escola de Governo, vamos disponibilizar esses cursos gratuitamente para a população. Isso muito nos honra, porque somos os primeiros a firmamos a parceria, o que mostra o potencial da nossa cidade”, acredita Marcelo.

Segundo o levantamento realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), o Brasil deve ter um aumento no déficit de profissionais na área de Tecnologia da Informação e da Comunicação (TIC) de cerca de 70 mil pessoas por ano até 2024. Isso porque, anualmente, formam-se apenas 46 mil profissionais que estariam aptos para esse mercado. Isso faz com que, de 2018 a 2024, o país alcance o patamar de 420 mil vagas de empregos em aberto, sendo 92 mil delas no setor de in house e outras 329 mil profissionais no macrossetor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), sem a mão de obra qualificada para supri-las.

Para se ter uma ideia da importância deste setor na geração de emprego e renda, de janeiro a agosto de 2021, a área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) contratou quase 150 mil novos profissionais no Brasil, o que representa um aumento de 149% em relação ao total de postos de trabalho criados em todo o ano passado, que foram de 59 mil. Atualmente, 845 mil empregos estão no setor TIC, alocados principalmente nas regiões sudeste e sul do Brasil.

Foto: Vivian Honorato / NCom

Sobre isso, o secretário municipal de Trabalho, Emprego e Renda, Gustavo de Santos, disse que, em Londrina, são cerca de mil vagas aguardando profissionais capacitados. “As vagas estão aí, por isso é tão importante que a gente qualifique as pessoas, para que elas possam de fato se unirem às oportunidades. Porque, vemos muitas pessoas fazendo cursos nas mais diversas áreas, mas com dificuldades para ingressarem no mercado de trabalho. Neste caso, nós iremos direcionar os participantes dos cursos especificamente para o mercado de TI”, afirmou Santos.

Foto: Vivian Honorato / NCom

O secretário municipal de Governo, Alex Canziani, responsável pela Escola de Governo que dará acesso aos cursos, lembrou que o acordo de cooperação é resultado das tratativas realizadas em Brasília, durante a visita de representantes do ecossistema de inovação de Londrina. “Tivemos 18 pessoas de Londrina em Brasília, buscando oportunidades para nossa cidade. Isso mostra a organização que temos e a determinação para fomentar a inovação da cidade. Tudo isso significa oportunidades, empregos e novos negócios”, falou Canziani.

Foto: Vivian Honorato / NCom

A deputada federal, Luísa Canziani, que é a presidente da Frente Parlamentar Mista da Economia e Cidadania Digital, esteve no anúncio e apontou diversos projetos de lei que estão em pauta no Congresso Nacional e que devem se tornar realidade nos próximos meses. Entre eles, a deputada citou o Marco Legal de Inteligência Artificial, Marco Legal das Startups, Marco Civil da Internet, Lei de GovTech e o Plano Nacional de Educação Digital. “O Plano Nacional de Educação Digital vai proporcionar, nas nossas escolas, as aulas de programação, de robótica e o desenvolvimento de competências e habilidades importantes no século XXI. Tem muita coisa acontecendo em Brasília, que certamente casa com isso que está acontecendo em Londrina, porque une com a nossa sinergia e com as conexões que o nosso ecossistema de inovação tem. Isso faz de Londrina um local de cada vez mais oportunidades”, disse Canziani.

O Acordo de Cooperação Técnica tem validade de um ano e objetiva ainda desenvolver a iniciativa Governo Digital, entregando estudos para adoção e implementação de novas tecnologias digitais e a utilização de infraestruturas tecnológicas de nuvem aplicadas ao setor público com o objetivo de promover o aumento da produtividade da prefeitura do município de Londrina, bem como a capacitação de equipes e liberação de soluções tecnológicas para teste.

Além disso, irá apoiar a Inovação de startups, com o desenvolvimento de aplicativos voltados para o cidadão visando a melhoria e maior agilidade no atendimento de serviços públicos, redução de filas, facilidade de agendamentos, entre outras iniciativas. Outra frente prevista no Acordo de Cooperação está relacionado à Cidades inteligentes, que prevê o apoio na elaboração de estratégias setoriais para a transformação digital em Londrina, nas áreas de agricultura, saúde, urbanismo, habitação, saneamento básico, mobilidade urbana e meio ambiente, com foco na cidadania digital, na qualidade de vida e no bem-estar dos cidadãos, possibilitando o crescimento digital, sustentável e economicamente eficiente das cidades.

Participaram também da solenidade, o diretor de Assuntos Corporativos da Microsoft do Brasil, Márcio Gonçalves; o vice-prefeito João Mendonça; o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Ubiratan; além dos vereadores Jairo Tamura (presidente da Câmara); Eduardo Tominaga e Giovani Mattos.

Sobre a Microsoft Brasil – A maior empresa de tecnologia do mundo está no Brasil há mais de 30 anos e é uma das 120 subsidiárias da Microsoft Corporation, fundada em 1975. De acordo com dados oficiais, em 2020, a empresa investiu mais de US$ 13 milhões em cursos de tecnologia gratuita para quase 2.000 Organizações Não Governamentais (ONGs) no Brasil, por meio de projetos sociais. Desde 2011, a Microsoft já apoiou mais de 7.500 startups brasileiras através de doações de mais de US$ 202 milhões em créditos de nuvem. 

Fonte: N.Com