Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Londrina entra em situação de alerta para epidemia de dengue

Londrina entra em situação de alerta para epidemia de dengue

Wednesday, 15 de January de 2020

Em apenas duas semanas, o município já registrou mais de 500 casos suspeitos da doença

Londrina entra em situação de alerta para epidemia de dengue

Foto: Vivian Honorato

A cidade de Londrina está caminhando para uma nova epidemia de dengue. É o que apontou o boletim semanal sobre a situação da doença, divulgado nesta terça-feira (14) pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Somente na primeira quinzena de 2020, o município registrou 533 casos suspeitos da doença, sendo a maioria das notificações nas regiões norte e leste. Deste total, seis pacientes foram confirmados, enquanto os demais seguem em andamento. E dois óbitos, que ocorreram nas últimas semanas, estão sendo investigados com possibilidade de terem sido provocados pela dengue.

Em comparativo com os anos anteriores, a diretora de Vigilância em Saúde do Município, Sônia Fernandes, destacou que Londrina vive o pior cenário em relação à dengue, dos últimos anos. Na primeira e segunda semana de 2019, a SMS registrou 97 e 112 notificações da doença, respectivamente. Este ano, os índices foram de 191 e 263, em cada semana. “Estamos em uma situação crítica, pois as notificações deste ano estão muito acima da média dos anos anteriores. A cada dia que passa, infelizmente, confirmamos mais a nossa hipótese de termos uma epidemia, com um grande número de casos suspeitos e confirmados ocorrendo em um curto período de tempo”, adiantou.

Em apenas duas semanas, o município já registrou mais de 500 casos suspeitos da doença

Foto: Vivian Honorato

Sem o envio pelo governo federal do inseticida, que elimina o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, ou do larvicida, a Prefeitura convoca a população para que interrompa a proliferação do vetor em todos os imóveis. “A previsão do Ministério da Saúde é que o inseticida seja enviado em fevereiro. Até lá, a única forma de combater o mosquito é eliminando qualquer possibilidade de ele se reproduzir. É preciso lavar os utensílios com água parada utilizando água e sabão, uma vez por semana, além de não jogar lixo em local inadequado, como fundos de vale e terreno baldio, pois isso propicia o aparecimento de novos mosquitos”, reforçou Fernandes.

Além dessa mobilização da comunidade, a Secretaria Municipal de Saúde está articulando, junto com outras secretarias e órgãos municipais, mutirões de limpeza nos bairros onde há maior concentração de notificações de dengue. “O Município trabalha com um plano de contingência da dengue, e dentro desse plano é previsto o aumento da demanda por profissionais, ou mesmo a abertura temporária de pontos de assistência aos pacientes. E todo esse cenário está sendo acompanhado de forma rotineira para que a gente possa, no momento adequado, oferecer isso para a população”, frisou a diretora.

Sônia lembrou que, como há três sorotipos da dengue circulando em Londrina, mesmo quem já teve a doença pode ser contaminado, dessa vez por outra versão do vírus. “E esses casos são muito mais graves, podendo levar a complicações muito mais facilmente”, informou.

Para identificar as localidades de Londrina onde há maior concentração do Aedes, está sendo elaborado o primeiro Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2020. Com as vistorias de campo finalizadas, agora o trabalho passa por análises de laboratório, e o resultado será divulgado no dia 22 de janeiro.

Fonte: N.Com