Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Indígenas que participam de projeto cultural recebem tablets para realizar atividades Indígenas que participam de projeto cultural recebem tablets para realizar atividades

Indígenas que participam de projeto cultural recebem tablets para realizar atividades

Thursday, 25 de November de 2021

Cinco indígenas da etnia Kaingang participam do Programa Bolsa Qualificação, do Governo Estadual, e recebem apoio da Prefeitura; doação é iniciativa da vereadora Lu Oliveira e Móveis Brasília

Foto: Emerson Dias – N.Com/PML

Nesta quarta-feira (24), em solenidade realizada no plenário da Câmara Municipal de Londrina, cinco indígenas da etnia Kaigang, que participam do Programa Bolsa Qualificação, foram contemplados com tablets para a realização de suas atividades. Os equipamentos foram doados pela empresa Móveis Brasília, em iniciativa viabilizada pela vereadora Lu Oliveira.

Promovido pelo Governo do Estado do Paraná, o Bolsa Qualificação visa capacitar agentes para a produção e apresentação de projetos culturais, por meio de atividades on-line, conduzidas pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). A ação selecionou 12 mil pessoas em todo o estado, que serão contempladas com bolsas no valor de R$ 3 mil. Realizadas no modelo de Ensino à Distância (EaD), as ações estão divididas em três módulos de 40h cada.

Os Kaingang selecionados são Nielson Ferreira, Tânia Marques da Silva, Helinho Tyj Zacarias, Helis Góg Nér Zacarias e Cleber Kronun de Almeida.  A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), designou um servidor para prestar apoio a eles (leia mais abaixo).

Foto: Emerson Dias – N.Com/PML

Durante a cerimônia, a vereadora Lu Oliveira destacou a importância de promover e disseminar as culturas índigenas, assim como implementar políticas públicas que proporcionem qualidade de vida para essas comunidades. “Essas tecnologias vão possibilitar que eles continuem seus estudos e, no futuro, conduzam outras pesquisas. Nosso objetivo é estimular as tradições Kaingangs, mostrando para o mundo a riqueza das suas manifestações culturais como a culinária, dança e vestimentas. Essa iniciativa também proporciona para eles uma outra forma de gerar renda, além do artesanato”, disse.

O diretor da Móveis Brasília, Fernando Moraes, afirmou que a empresa procura se envolver em causas sociais importantes e, por isso, resolveu prestar apoio à comunidade Kaingang, após receber a solicitação da parlamentar. “Decidimos realizar essa ação para ajudar os indígenas a ter acesso aos meios tecnológicos e à internet, o que é uma forma de inclusão social”, frisou.

Foto: Emerson Dias – N.Com/PML

Segundo o secretário municipal de Cultura, Bernardo Pellegrini, a doação tem um caráter simbólico muito grande, pois estimula o engajamento da sociedade na causa dos direitos indígenas. Pellegrini salientou, ainda, que os tablets também serão utilizados por participantes indígenas de outra atividade, o programa “Londrina: Cultura faz história”, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC).

“A gente iniciou um processo inédito na cidade, de incorporar os indígenas como produtores culturais, para a recuperação da memória, história e cultura indígena. Temos diversas escolas Kaingangs em Londrina, e artistas da comunidade cujo trabalho foi exibido na Bienal de São Paulo. Nosso compromisso é dar visibilidade às tradições das sociedades indígenas, que são culturas fundadoras do Brasil. O que estamos assistindo aqui é o primeiro passo de uma jornada que vai trazer muitos frutos”, disse Pellegrini.

Foto: Emerson Dias – N.Com/PML

O participante do Programa Bolsa Qualificação, Helinho Tyj Zacarias, se disse muito feliz com a doação. “Estou participando desse curso porque quero fazer projetos para divulgar a nossa cultura. Esses equipamentos vão nos ajudar muito”, afirmou.

O presidente da Associação Cultural Kaingang Vãre, Aparecido Zacarias, agradeceu o apoio da Móveis Brasília e do poder público. “Isso é muito importante porque o município está reconhecendo a presença indígena em Londrina. Estamos trabalhando para preservar a nossa cultura e para dar educação aos nossos jovens, para que eles possam se tornar profissionais como advogados, enfermeiros, médicos e políticos”, salientou.

Foto: Emerson Dias – N.Com/PML

O presidente do Conselho Municipal de Transparência e Controle Social de Londrina (CMTCSL), Auber Silva Pereira, ressaltou que o órgão tem prestado suporte ao povo Kaingang, inclusive tendo auxiliado os participantes de projetos culturais a realizarem suas inscrições nessas iniciativas. “Precisamos entender, compreender e vivenciar a cultura Kaingang, dedicando o respeito e a honra que merece. Para isso, é necessário fazer um resgate cultural, histórico e promover a dignidade da comunidade em termos de renda e moradia. Os indigenas têm uma cultura viva, repleta de sabedoria e que pode nos ensinar muito sobre o humanismo”, pontuou Pereira.

Apoio – Com o objetivo de proporcionar suporte aos participantes indígenas de projetos culturais, a Secretaria de Cultura indicou o servidor Alexandre Oguido, da Coordenadoria de Centro Cultural. Como agente de referência, Oguido presta assessoramento técnico, pedagógico e operacional aos bolsistas.

Além do servidor, estão presentes mais quatro voluntários: Carin Louro, Clarice Junges, Francesca Amaral e João Guilherme Aldegueri Marques. Juntos, eles auxiliam os indígenas no cumprimento das atividades, que envolvem conteúdos impressos e digitais e são realizadas no telecentro da Biblioteca Pública Municipal.

Além da vereadora Lu Oliveira, participaram da sessão na Câmara, os vereadores Matheus Thum e Lenir de Assis. Os três parlamentares integram a Comissão dos Direitos Humanos e de Defesa da Cidadania do Poder Legislativo.

Fonte: N.Com