Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Hard skills e soft skills Hard skills e soft skills

Hard skills e soft skills

Friday, 28 de May de 2021
Categoria:

As pessoas geralmente são contratadas por suas habilidades técnicas e, depois, promovidas ou demitidas pelos comportamentos.

Você já deve ter escutado aquela conhecida máxima: as pessoas geralmente são contratadas por suas habilidades técnicas e, depois, promovidas ou demitidas pelos comportamentos.

Pois bem. É assim que procurávamos explicar a diferença entre hard skills e soft skills bem antes de esses estrangeirismos passarem a fazer parte do jargão comum de todo mundo que atua no mercado de trabalho. Mas, você já aprendeu a diferenciá-los e a identificar de que tipo de valências cada um deles trata na prática?

Hard skills é uma expressão utilizada para descrever as habilidades e competências técnicas que geralmente anotamos no currículo. As qualificações, certificações e aptidões técnicas que acumulamos com o propósito de desempenhar uma função. Portanto, aquilo que obtemos com estudo e treinamento.

Fluência em idiomas, capacidade de gerar relatórios, saber escrever linhas de programação, manusear um software de edição de vídeo com destreza, realizar cálculos matemáticos e criar um site para a sua empresa são alguns bons exemplos de hard skills. E tudo o que se refere ao ensino técnico, graduação e pós-graduação também se enquadra aí.

Em contrapartida, o termo soft skills é bem empregado quando se refere às competências comportamentais que não conseguimos inserir no currículo e, consequentemente, um recrutador só identifica quando é hábil em conduzir entrevistas de emprego ou dinâmicas de grupo. Isto é, as aptidões mentais, emocionais e sociais facilmente qualificáveis, mas difíceis de quantificar. Aquilo que exige autoconhecimento e autopercepção e não apenas uma formação de ponta.

Estou me referindo a competências como liderança, trabalho em equipe, inteligência emocional, saber resolver problemas complexos, comunicação, gestão do tempo e proatividade, entre outras. Capacidades que só desenvolvemos em alto nível ao lidar com situações que envolvem complexidade, ambiguidade e/ou incerteza.

Por isso mesmo, é importante ter o entendimento de que:

É muito mais fácil adquirir hard skills do que soft skills.

As competências técnicas são capazes de mantê-lo empregado em sua empresa, mas já não chamam a atenção dos headhunters na mesma medida que anos atrás. Eles estão cada vez mais interessados nas soft skills.

Quando você faz um curso que focaliza uma competência comportamental dificilmente sai sabendo tudo o que precisa fazer na sequência para aplicá-la com sucesso. Apesar de animado com o que aprendeu, é normal se sentir angustiado e confuso, ok?

Acumular um monte de certificados e diplomas pode ser bom para o ego, mas as empresas querem saber mesmo é como você lida na hora em que as coisas não saem como o planejado.

As hard skills podem resolver os problemas técnicos da posição que você ocupa atualmente na empresa, mas a construção de uma carreira de sucesso ao longo dos próximos anos dependerá muito mais das soft skills que você aprimora dia após dia.

Pense nisso!

Palestrante e consultor empresarial especialista em Formação de Lideranças, Desenvolvimento Gerencial e Gestão Estratégica, também é professor universitário em cursos de pós-graduação. Mestre em Administração de Empresas, possui MBA em Gestão Estratégica de Pessoas e é autor dos livros “Como desenvolver líderes de verdade” (Ed. Ideias e Letras), “Líder tático” e “O gerente intermediário” (ambos Ed. Qualitymark).