Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Trabalho: Atividades presenciais devem equilibrar com as online Trabalho: Atividades presenciais devem equilibrar com as online

Trabalho: Atividades presenciais devem equilibrar com as online

Wednesday, 27 de July de 2022
Categoria:

Foto: Pixabay

Embora seja necessário adaptar-se à nova realidade híbrida trazida pelo pós-pandemia, as empresas e os trabalhadores têm sentido os benefícios do retorno às atividades presenciais. Não apenas no ambiente corporativo, mas, também, em eventos como conferências, reuniões, palestras e, até mesmo, momentos descontraídos como happy hour. Uma pesquisa recente da TravelPerk, especialista em viagens de negócios, com sede na Espanha, aponta que 88% das corporações estão retomando as atividades presenciais. Mas afinal, qual o futuro do universo do trabalho?

“Não há dúvidas de que, inicialmente, o home office trouxe inseguranças e incertezas. Agora, as empresas e os trabalhadores já conseguiram encontrar um equilíbrio entre o tempo de trabalho, a oferta de equipamentos e os benefícios e vantagens de se trabalhar de casa. Entretanto, como nada substitui o contato físico, será preciso encontrar um meio termo entre as atividades presenciais e as atividades online”, afirma Glauce Fonçatti, advogada especialista em direito trabalhista no Escritório Batistute Advogados. Para ela, do ponto de vista jurídico, é possível reorganizar-se e contemplar as novas expectativas trabalhistas.

Até porque, segundo a mesma pesquisa, 79% dos trabalhadores estão animados com a volta das atividades presenciais, principalmente, como forma de construir e aprofundar os relacionamentos entre os colegas, entre outros aspectos. “É preciso levar em conta que o mundo do trabalho foi sacudido durante a pandemia. Se, por um lado, muitos perderam seus empregos e trabalhos, por outro, inúmeros trabalhadores foram contratados durante este período. E essas pessoas nem sempre chegaram a conhecer seus colegas. Daí a necessidade de realizar encontros presenciais”, ressalta Glauce.

De acordo com a advogada, o que se tem percebido é que empresas e trabalhadores entenderam que muitas atividades laborais podem ser desempenhadas de maneira online, entretanto, o relacionamento interpessoal é importante para tornar o ambiente laboral mais colaborativo, harmonioso e, por consequência, mais produtivo, o que reverbera no momento da tomada de decisões importantes. “A presença física fortalece vínculos, possibilita e potencializa a comunicação, principalmente, a não verbal, além de permitir um contato humano mais próximo, inclusive na tomada de decisões estratégicas. Nada substitui a hora do cafezinho depois de uma reunião importante”, diz a especialista.

Regras e exigências

Mas, o que pode ou não pode quando a questão é o retorno ao trabalho presencial ou da manutenção da atividade online? De acordo com Glauce, o ideal é que esta seja uma decisão comum entre empregador e empregado. “Se não for este o caso, o empregador pode exigir o retorno presencial, desde que garanta um ambiente saudável e tome as medidas de proteção contra a Covid-19 previstas nos protocolos de saúde. Também é possível que o empregador exija os comprovantes de vacinação, podendo, inclusive, aplicar medidas disciplinares e até demissão quando há recusa a tomar a vacina disponível na respectiva faixa etária e/ou condição prioritária”, diz a advogada.

O mesmo vale para quem se recusar a voltar ao trabalho presencial. “A empresa poderá adotar sanções disciplinares previstas em lei, salvo quando o colaborador tiver recomendações médicas para manter sua atividade remota, ou seja, quando a pessoa for do grupo de risco, por exemplo”, ressalta Glauce. Da mesma maneira, o empregador não pode recusar o atestado de afastamento por conta da Covid-19, desde que o documento esteja dentro dos requisitos de validade das portarias do Ministério da Saúde.