Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Começou a 27ª Feira do Peixe Vivo de Londrina Começou a 27ª Feira do Peixe Vivo de Londrina

Começou a 27ª Feira do Peixe Vivo de Londrina

Wednesday, 31 de March de 2021
Categoria:

Foto: Emerson Dias

População pode adquirir um alimento fresco e saudável a preços de mercado; a feira encerra na sexta-feira (2), às 16 horas

Os moradores de Londrina e região estão convidados para participar da 27ª Feira do Peixe Vivo, que começou nesta quarta-feira (31), na Praça Tomi Nakagawa, localizada na Rua Benjamin Constant, esquina com a Avenida Leste-Oeste. Os interessados podem conferir os produtos até sexta-feira (2). As vendas iniciam às 8 horas nos três dias seguidos, mas encerram em horários diferentes devido ao feriado. Na quarta (31) e quinta-feira (1º), as vendas devem encerrar até às 18 horas e no feriado de Sexta-Feira Santa (2), os piscicultores atenderão até, no máximo, às 16 horas.

Consumidor mostra sua sacola com peixes da 27ª Feira do Peixe Vivo de Londrina. Foto: Emerson Dias

Nesta edição, os consumidores podem adquirir peixes frescos ainda com vida, a preços de mercado, como o Pacu que custa R$ 22,00 o quilo, a Tilápia que varia de R$ 16,00 a R$ 20,00 o quilo, o Bagre por R$ 16,00/kg, a Carpa a R$ 16,00/kg e o Pintado a R$ 30,00/Kg. “Os produtos que estão sendo vendidos são muito atrativos, os preços estão muito bons e os peixes são bem bonitos, bem cuidados! Nesse domingo, eles com certeza vão fazer parte da nossa mesa”, elogiou o consumidor Renê Lopes, que esteve na feira pela primeira vez.

A gerente de Comercialização da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, Viviane Fernandes, explicou que quem for Praça Tomi Nakagawa terá a oportunidade de escolher o próprio peixe que estará vivo. Mas, é importante se atentar ao fato de que o alimento é entregue inteiro ao consumidor, sendo que este último deverá limpá-lo em casa. “A Feira do Peixe Vivo é uma tradição na cidade de Londrina. Ela está vinculada à Semana Santa, mesmo para as pessoas que não seguem a tradição de consumir peixe. Além disso, sabemos que incentiva a população a consumir um alimento saudável e, para o produtor, é um canal de comercialização já esperado. Eles se preparam durante o ano todo para a comercialização aqui e isso valoriza o trabalho dos produtores rurais e motiva outros a se tornarem piscicultores”, acredita Fernandes.

Foto: Emerson Dias

Segundo o piscicultor Fábio Pelisson, que há 15 anos cultiva peixes, a feira realmente é um momento esperado durante o ano, pois ajuda os produtores a manterem o valor agregado ao produto vendido e a aumentar a renda anual das famílias dos feirantes. “É uma vantagem muita boa, para a gente, participar da feira, porque a gente pode vender nosso peixe e oferecer ele ao público. É um peixe vivo, fresco e não aquele congelado que vendem nos mercados. É a quinta vez que eu participo e pretendo continuar fazendo isso, porque nos anos anteriores, vendemos, em média, 4 toneladas de peixe. É um tanto razoável”, opinou o piscicultor que mantém a produção em Londrina e Ibiporã.

Para evitar a aglomeração, neste ano, não estão sendo vendidos os quitutes que foram comercializados nos anos anteriores, como pasteis, salgados, lanches e quiches. Outra mudança que as pessoas notarão é quanto à distância entre uma barraca e outra. Isso porque, a orientação da SMAA é que os feirantes mantenham, pelo menos, 2 metros de distância entre um e o outro e que coloquem fitas de isolamento para que as pessoas não se aglomerarem no entorno das barracas. A expectativa é que, neste ano, sejam comercializadas 10 toneladas de peixes.

Foto: Emerson Dias

A Feira do Peixe Vivo faz parte do projeto “Feira de Produtos de Época”, que integra a política de Segurança Alimentar do Município, realizada pela SMAA. O projeto visa disponibilizar, aos produtores, espaços públicos para a venda de produtos no auge da produção. A Feira do Peixe Vivo faz parte do projeto “Feira de Produtos de Época”, que integra a política de Segurança Alimentar do Município, realizada pela SMAA. O projeto visa disponibilizar, aos produtores, espaços públicos para a venda de produtos no auge da produção.

N.com