Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Cida Moreira apresenta ‘Soledade Solo’ no FIML Cida Moreira apresenta ‘Soledade Solo’ no FIML Cida Moreira apresenta ‘Soledade Solo’ no FIML

Cida Moreira apresenta ‘Soledade Solo’ no FIML

terça, 18 de julho de 2017

Ao piano, interpreta músicas de Belchior, Caetano Veloso, Leonard Cohen, entre outros

Cida Moreira apresenta ‘Soledade Solo’ no FIML - LondrinaTur

Foto: Murilo Alvesso

A cantora e intérprete Cida Moreira retorna ao palco, agora no Teatro Crystal às 18h30, para um show mais intimista. “Soledade Solo” fala sobre cantar canções, gravar canções e viver canções…  Ao piano, ela interpreta músicas de Belchior, Caetano Veloso, Chico Buarque e Milton Nascimento, Leonard Cohen, Tom Waits, entre outros.

Cida Moreira flutua no ar como se fosse um pássaro com o seu cantar, imersa em profunda soledade. E ao cantar a santa, a seca, o sertão, descobre no arco-íris uma oitava cor. E se víssemos o mundo pela janela de seus olhos, descobriríamos que, no fim, o Brasil somos nós.

Cantora e atriz, Cida Moreira realizou em sua carreira muitos projetos ligado ao cinema e ao teatro, embora seu carro chefe seja a música.  Seus álbuns sempre foram elogiados pela crítica e se transformaram em shows que marcaram sua trajetória.

Repertório

O show marca o lançamento do CD gravado ao vivo pela gravadora Joia Moderna na Casa de Francisca, em São Paulo, onde ela interpresta as seguintes canções: A última sessão de música (Milton Nascimento, 1973), Cajuína (Caetano Veloso, 1979), Na hora do almoço (Belchior, 1971), Recanto escuro (Caetano Veloso, 2011), Preciso cantar (Arthur Nogueira e Dand M, 2013), Querido diário (Chico Buarque, 2011), Viagem (João de Aquino e Paulo César Pinheiro, 1972), À beira do Pantanal (Raul Seixas e Cláudio Roberto, 1980), Os açougueiros felizes (Les joyeux bouchers) (Boris Vian e Jimmy Walter, 1955, em versão em português de Letícia Coura, 2001), Fortíssimo (Bruno Canfora e Michael Wertmüller, 1966), Chelsea Hotel (Leonard Cohen, 1974), Forasteiro (Hélio Flanders e Thiago Pethit, 2010), She (Marianne Faithfull e Angelo Badalamenti, 1995), Anywhere I lay my head (Tom Waits, 1985), Youkali tango (Roger Farney e Kurt Weill, 1934).

Fonte: Divulgação