Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Ano letivo na rede municipal de ensino começa no dia 11 de fevereiro Ano letivo na rede municipal de ensino começa no dia 11 de fevereiro

Ano letivo na rede municipal de ensino começa no dia 11 de fevereiro

Friday, 22 de January de 2016
Categoria:

Decisão foi tomada para reorganização das escolas afetadas
pelas chuvas em Londrina; 78 unidades apresentaram problemas

A Secretaria Municipal de Educação decidiu adiar o início do
ano letivo, previsto para o dia 29 de janeiro, para o dia 11 de fevereiro. A
readequação de seis dias letivos é necessária para reorganização das escolas
afetadas pelas fortes chuvas ocorridas no dia 11 de janeiro em Londrina. A
informação foi repassada na manhã desta quarta-feira (20), pela secretária
municipal de Educação, Janet Thomas, durante entrevista coletiva.

Dos 39 mil alunos da rede municipal de ensino, cerca de 25
mil foram afetados pelas chuvas. No momento, 9 mil estão sem salas de aula. Os
locais danificados foram interditados e, para garantir o início das aulas, os
alunos podem ser realocados na própria unidade ou rede escolar, ou
temporariamente em locais próximos a unidade escolar, como igrejas e centros
comunitários. Outra opção seria o aluguel de espaços alternativos e o uso de
unidades móveis.

Segundo a secretária Janet Thomas, o município iniciou
alguns reparos e a Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação já está fazendo
contratações emergenciais para atender a rede educacional, além de planilha de
custos detalhados, para dar início as licitações emergenciais. “Nossas equipes
estão trabalhando para conseguir espaços alternativos e para a resolução de
problemas de estrutura. Alguns reparos também foram iniciados pela nossa
marcenaria”, disse.

Foto: Marcos Zanutto

Das 114 unidades escolares municipais, 78 foram atingidas
pelas chuvas, apresentando situação de risco aos alunos e servidores, devido a
desabamento parcial de muro, problemas no piso, fossa, reboco, parquinho,
forro/laje/telhados, rachaduras que comprometem a estrutura e árvores que
caíram ou que correm o risco de cair.

Outras unidades foram afetadas com problemas na rede
elétrica e hidráulica; em banheiros, cozinhas e refeitórios; mobiliários e
quadros/lousas. Quatro unidades escolares foram interditadas, o Centro
Municipal de Educação Infantil (CMEI) Sandra Leme (zona oeste) e as escolas
Maria Carmelita Vilela Magalhães (zona sul), Maria Irene Vicentini (zona leste)
e Irene Aparecida da Silva (zona sul), além de 171 ambientes pedagógicos
interditados, como salas de aula, de informática e bibliotecas.

De acordo com o balanço apresentado, o transporte escolar
rural também foi comprometido. Todas as 281 linhas tiveram problemas. Destas, 227
linhas estão em manutenção e quatro estão interditadas devido à queda de
pontes. “Estamos estudando caso a caso para fazer as linhas voltarem a
funcionar”, destacou a secretária.

Conforme levantamento apresentado, para sanar os danos
causados às escolas, serão necessários R$ 17.045.000,00, além de outros R$ 2
milhões para ações temporárias, que incluem aluguel de espaços alternativos e
despesas com transporte. Os gastos com as ações temporárias serão custeados com
recursos do município. Para reparar os estragos, o município solicitou ao
governo federal, na tarde da última terça-feira (19), o aporte financeiro de R$
92.940.550,00, referente a todos os prejuízos causados pelas chuvas em
Londrina.

Fonte: N.Com