Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
ACIL alerta para notícia falsa e nega mobilização para fechamento do comércio ACIL alerta para notícia falsa e nega mobilização para fechamento do comércio

ACIL alerta para notícia falsa e nega mobilização para fechamento do comércio

Thursday, 18 de March de 2021
Categoria:

A ACIL informa que não está se mobilizando para o fechamento do comércio local. A entidade desmente informações que circulam em grupos de whatsapp e afirma que não houve qualquer reunião na sede da asssociação relacionada a um lockdown.

A ACIL destaca ainda, em nota distribuída à imprensa, que tem acompanhado todas as manifestações dos poderes estadual e municipal a respeito do tema. Londrina cumpre decreto estadual em vigor até 1º de abril, que promove restrições no funcionamento dos setores produtivos do município, mas sem fechamento completo.

A prorrogação do decreto estadual até o dia 1º de abril faz com que o setor produtivo respire um pouco mais aliviado, segundo a diretoria. “Não aguentaríamos outro lockdown, uma vez que este não seria suportado por diversos segmentos, levando à falência inúmeras empresas. No entanto, algumas restrições mantidas pelo decreto prorrogado na noite desta terça-feira, 16, também condenam uma importante parcela das atividades produtivas, que continuam a pagar a conta no lugar daqueles que realmente contribuem para a proliferação da Covid-19 em nossa cidade, através do não cumprimento das medidas sanitárias determinadas pelos órgãos de saúde”, destaca nota.

Para a ACIL, o horário restrito para o funcionamento das empresas coloca em xeque a capacidade de empresários cumprirem, inclusive, seus compromissos trabalhistas, como manter em dia pagamentos de salários e garantir os empregos dos trabalhadores.

“O momento pede cautela e a ACIL está diariamente atenta ao cenário crítico da pandemia em nossa cidade, mas acredita ser possível adotar medidas equilibradas para preservar a saúde das pessoas e das empresas. Para isso, é preciso criar com a máxima urgência uma força tarefa ostensiva, onde se fiscalize e se aplique penalidades severas a todos que descumprirem as medidas sanitárias; reestruture os hospitais com uma capacidade de leitos e instrumentos suficientes para atender a população; dê celeridade ao calendário de vacinação, através de aquisições de lotes extras de vacinas, sempre que necessário; fiscalize e reestruture a capacidade de atendimento à população no transporte público, preservando os protocolos de saúde; e se execute imediatamente um plano de retomada econômica em nosso município”, aponta a entidade.

Fonte: Londrix