Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Ação educativa na região Central orienta comunidade a eliminar focos do Aedes aegypti Ação educativa na região Central orienta comunidade a eliminar focos do Aedes aegypti Ação educativa na região Central orienta comunidade a eliminar focos do Aedes aegypti

Ação educativa na região Central orienta comunidade a eliminar focos do Aedes aegypti

Monday, 06 de February de 2017

Coordenação de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde realiza o trabalho nesta terça (7) e quarta-feira (8), em parceria com o Sesc Londrina Centro

Com o objetivo de conscientizar a comunidade para participar ativamente do combate ao mosquito Aedes aegypti, a Secretaria Municipal de Saúde promove, através da Coordenação de Endemias, ações educativas nesta terça (7) e quarta-feira (8). O trabalho será desenvolvido na região central, das 8h30 às 12 horas, no entorno do Sesc Londrina Centro, localizado na Rua Fernando de Noronha, 264.

Conforme o 1º Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2017, a região central é a que possui o maior índice de infestação do mosquito na cidade, com 5,81%. O trabalho educativo visa sensibilizar proprietários, comerciantes e funcionários a eliminarem possíveis criadouros do Aedes aegypti rotineiramente.

De acordo com a educadora em Endemias da SMS, a ação é fruto de parceria do Município com o Sesc Londrina. “Além dos agentes de endemias, os funcionários do Sesc também vão participar das atividades. Eles elaboraram os panfletos que serão distribuídos nos comércios da região, explicando quais os sintomas das doenças transmitidas pelo Aedes, e também quais as características do mosquito em suas diversas fases”, contou.

Lucimara adiantou que, conforme a disponibilidade da empresa ou comércio, os funcionários serão treinados durante a ação educativa para que possam vistoriar os imóveis com frequência. “O ideal é que essas verificações sejam feitas em pelo menos dois dias da semana, intercalados. É necessário eliminar todo e qualquer ponto de acúmulo de água, sejam sacolas, tampinhas de garrafas, e qualquer objeto plástico que retenha água, principalmente da chuva. Caso o objeto não possa ser eliminado, é preciso lavar periodicamente, eliminando qualquer ovo ou larva do mosquito”, ressaltou.

Fonte: N.Com