Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
“A Descoberta das Américas” abre a programação do FILO 2022 “A Descoberta das Américas” abre a programação do FILO 2022

“A Descoberta das Américas” abre a programação do FILO 2022

Wednesday, 15 de June de 2022
Categoria:

Foto: Maria Elisa Franco

A atração inicial da edição 2022 será apresentada hoje (15) e amanhã (16), no Cine Teatro Ouro Verde; ator Julio Adrião é o protagonista da montagem, que provoca no público inesperada reflexão

Começa na noite desta quarta-feira (15) a programação cultural do Festival Internacional de Londrina (FILO 2022), com o espetáculo “A Descoberta das Américas”, no Cine Teatro Ouro Verde, logo após a cerimônia de abertura, às 20h30. Fazendo um convite ao riso e à reflexão, a atração inicial traz uma atuação intensa e despojada, conduzida pelo premiado ator carioca Julio Adrião. O Filo retorna, após dois anos sem a realização do evento.

O espetáculo de abertura será reapresentado na quinta-feira (16), no mesmo horário. Os Ingressos estão à venda à R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada) pela plataforma Sympla – https://www.sympla.com.br/filo2022 .

Desde a sua estreia em São Paulo, em 2005, o espetáculo “A Descoberta das Américas” vem conquistando elogios e prêmios da crítica especializada, com mais de 700 apresentações realizadas em todos os estados brasileiros e oito países. Já são 17 anos em cartaz.

O texto original – o clássico de Dario Fo – ganhou tradução e adaptação de Julio Adrião e Alessandra Vannucci, que também assina a direção. Em cena, o ator Julio Adrião narra, com rude ironia, outra versão da nossa história, que leva o público a uma inesperada reflexão sobre o período inicial da colonização do Novo Mundo. Segundo a crítica, é uma atuação que impressiona pela intensidade e qualidade técnica.

O enredo parte da história de um “Zé-ninguém”, de nome Johan Padan, rústico, esperto e carismático, que escapa da fogueira da inquisição e embarca, em Sevilha (Espanha), numa das caravelas de Cristóvão Colombo. A partir daí, ele se torna protagonista de uma história que vai além da oficial. Acossado por uma cruel economia da fome que o faz engenhoso, precisa sobreviver para narrar sua história. No Novo Mundo, o herói sobrevive a naufrágios, testemunha massacres, é preso, escravizado e quase devorado pelos canibais.

Com o tempo, aprende a língua dos nativos, cativa-os e safa-se fazendo “milagres” com alguma técnica e uma boa dose de sorte. Venerado como filho do sol e da lua, catequiza e guia os nativos numa batalha de libertação contra os espanhóis invasores.

“A Descoberta das Américas” aposta na simplicidade, mas também na sofisticação, lançando mão apenas dos recursos cênicos indispensáveis, num registro de interpretação enérgico e dinâmico, que estabelece uma comunicação direta e próxima ao público. Um ator só em cena, sem cenário, com figurino e iluminação reduzidos ao mínimo, atuando num estado essencial, de emergência.

Além do herói protagonista, Julio Adrião também encarna outros personagens – índios, espanhóis, cavalos, galinhas, peixes, até Jesus e Madalena. Dessa forma, cria com os espectadores um código gestual, mímico e sonoro, estabelecendo um pacto de cumplicidade com o espectador. A atuação de Julio Adrião em “A Descoberta das Américas” rendeu ao ator o Prêmio Shell em 2005.

Ator premiado – Julio Adrião é carioca, ator, produtor e diretor teatral. Formado pela CAL/RJ em 1987, trabalhou seis anos na Itália com foco no treinamento físico do ator, nas companhias Teatro Potlach, de Fara Sabina, Abraxa Teatro e Qabaloquá, ambas de Roma. De volta ao Brasil em 1994, criou e integrou o trio cômico Cia. do Público até 2002. Produziu e dirigiu espetáculos de teatro e, como ator, participou de diversas produções, em curtas e longas-metragens, no cinema e séries na TV.

Além do Shell/RJ de melhor ator por “A Descoberta das Américas”, em 2021 ele dividiu com o ator Vertin Moura o troféu Conceição Moura, do VI Cine Jardim/PE, pela atuação no longa Sertânia, de Geraldo Sarno.

No teatro trabalhou com os diretores Moacyr Góes, Fábio Junqueira, Lucia Coelho, Mauricio Abud, Isabella Irlandini, Dudú Sandroni, Márcia do Valle, Sidnei Cruz, Alessandra Vannucci, Tim Rescala, Moacir Chaves, Bia Lessa, Ivan Sugahara e Miwa Yanagisawa. Dirigiu “Roda saia, gira vida” com o Teatro de Anônimo, a Ópera “O Elixir do Amor” na UFRJ, o solo “Roliude” do ator João Ricardo Oliveira, o espetáculo clown bufão “Blefes excêntricos” do CircoDux e o solo musical “Fico”, com a Cia Chilena Tryo Teatro Banda.

Serviço:

A Descoberta da Américas, com Julio Adrião (Rio de Janeiro)

Quando: quarta-feira (15/06) e quinta-feira (16/06), às 20h30

Onde: Cine Teatro Ouro Verde (Rua Maranhão, 85), em Londrina

Duração: 80 min. Classificação indicativa: 14 anos.

 

Festival Internacional de Londrina – FILO 2022

De 15 a 26 de junho

Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada). À venda na plataforma Sympla: https://www.sympla.com.br/filo2022

Realização: Associação dos Profissionais de Arte de Londrina (Aspa) e Universidade Estadual de Londrina (UEL)

 Apoio institucional: Núcleo dos Festivais Internacionais de Artes Cênicas do Brasil

Apoio: Crillon Palace Hotel, Kery Grill, Hype Labs, Fecomércio/Sesc-Senac, Espaço AML Cultural, Sanepar, Rádio UEL FM

Patrocínio: Prefeitura de Londrina / Secretaria Municipal da Cultura / Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic)

Informações: www.filo.art.br 

 

Fonte: N.Com