Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
História História História

História

Thursday, 25 de April de 2013
Categoria:

As terras que formam o Município
de Sertaneja foram adquiridas e loteadas pela CIA Agrícola Barbosa entre os
anos de 1.940 a 1.945, que pertenciam ao Município de Cornélio Procópio. A boa
qualidade das terras, próprias para formação de cafeeiros, atraía a cada dia
grande número de desbravadores, colonizadores que com fibra e trabalho
incansável dera início à formação deste pungente município paranaense. 

Os primeiros moradores eram
empreiteiros de derrubadas que enfrentavam o ambiente hostil e toda a espécie
de dificuldades. Entre esses heróis civilizadores destacamos: Antonio Pereira
Teixeira, (corretor e loteador Cia Barbosa), Massagi Nagano, (efetuou a
primeira derrubada e construiu o primeiro rancho com madeiras de palmito e
coberto de encerado), Benjamim Teixeira, João Aparecido, José da Silva,
(construiu ranchos), Januário Loureiro, Moisés de Oliveira, (primeiro
farmacêutico formado), Kazuyoshi Kobayashi. 

Abrindo picadas, dava início a
fazenda Santo Antonio que pertencia à firma, WANDERLEY CHARLACH. Deve-se muito
o desenvolvimento de Sertaneja a  este dinâmico desbravador que, para
dar maior avanço ao progresso, instalou em sua propriedade, a primeira
serraria, dando início às primeiras construções de madeira. 

Em 1.943 o povoado de Sertaneja,
assim já era chamado, possuía alguns estabelecimentos comerciais que pertenciam
aos senhores: José da Silva, Joaquim Jonas, Ernesto Hobi, José Boava, Belmiro
Pinheiro, Luiz Valério, Benedito Custódio Ferreira, Henrique Almeida Ferreira,
João Batista Simões, Ristodemos Bordini, Ermínio Lazarini, José Gonçalves e
outros. 

O meio de transporte era feito
por uma jardineira, tipo “Catita”, sendo que as estradas para Cornélio Procópio
e Assis, eram do tipo carreador. 

Em 1.944, foi construída a
primeira capela pelo senhor Otávio Charlach e colaboração de todos, tendo como
o padroeiro Santo Antonio de Pádua, imagem doada pela senhora D. Laura
Charlach. A primeira missa na localidade foi celebrada pelo Padre Vicente. 

Em meados de 1.945, foi
construída a primeira escola, que para dar os primeiros passos do alfabetismo,
eram duas professoras, (leigas), de Cornélio Procópio. Jair Oliveira, Lourdes
Orlandi e Antonio Bordini, foram os primeiros professores nomeados, por volta
de 1.947.

Em fins de 1.945 outras famílias
pioneiras da tradicional fibra nipônica, vieram fixar residência que muito
contribuíram no desenvolvimento e formação de lavouras. São elas: Shotaro
Minami, Massataka Ota, Komatsu Taniguchi, Yoshinosuke Nakamura, Guenkishi
Suzuki e outros.

 Em 19 de janeiro de 1.946,
inaugurava-se o “CLUBE RECREATIVO”.                                                                                   

Sertaneja, a partir de 1.947,
tiveram impulsos extraordinários, surgindo várias casas comerciais, bares;
ampliaram-se as construções. No ano de 1.947 a localidade enfrentava um de seus
maiores problemas: a falta de água, que era transportada pelos moradores de
distância de cinco a seis quilômetros. O problema foi sanado através de um
movimento iniciado em 1.948, que contou com a valiosa participação do Dr.
Waldemar Scardazzi e dos primeiros vereadores: Luiz Valério, Benedito Custódio
Ferreira, Carlos Alves de Oliveira, que representavam a localidade na Câmara de
Cornélio Procópio, para isso, foi criada a Lei Municipal nº 186 de 15/03/50,
que regulamentava a emissão de Apólices que foram vendidas à razão de  200,00
cada. Com a arrecadação, comprou-se um motor à óleo diesel, bombas, canos,
etc., trazendo com isso a água encanada para Sertaneja. 

Em 08 de maio de 1.948,
radicava-se em Sertaneja Dr Waldemar Scardazzi, que, muito trabalho e
dificuldade, atendia a população. 

No dia 14 de maio de 1.949, era
instalado o Cartório de Registro Civil, tendo como escrivão o Senhor Rolando
Demétrio Marussi. 

Foi a 05 de outubro de 1.950, que
se criou a Paróquia de Santo Antonio, construída por D. Geraldo de Proença
Singaud, Bispo da Diocese de Jacarezinho, sendo primeiro pároco Pe. Pedro
Piazzol. 

O desenvolvimento acentuado em
todos os setores suscitou entre os habitantes o desejo da Criação do Distrito
Administrativo, o que foi conseguido através da Lei Estadual nº 690 de 14 de
dezembro de 1.950. A marcha do progresso teve continuidade e Sertaneja com
pouco mais de sete anos de fundação passou de simples povoado, de Distrito à
Categoria de Município, isto deu -se no dia 14 de Novembro de 1951, através da
Lei Estadual nº 790. O município foi instalado no dia 14 de dezembro de 1.952.

(Fonte: Biblioteca Pública
Municipal)