Menu LondrinaTur, portal de Londrina e norte do Paraná
Guias
Saiba como bloquear conteúdos nocivos no celular das crianças Saiba como bloquear conteúdos nocivos no celular das crianças Saiba como bloquear conteúdos nocivos no celular das crianças

Saiba como bloquear conteúdos nocivos no celular das crianças

segunda, 09 de abril de 2018

Android e iOS já possuem a funcionalidade, mas também é possível baixar aplicativos de terceiros

Se você tem um filho pequeno, sabe da importância de limitar a exposição de alguns conteúdos, seja em frente à TV ou no celular. Esse controle é necessário para permitir que a criança se divirta e estude com segurança com os smartphones. Existem aplicativos com essa finalidade em específico, mas os próprios sistemas operacionais, como iOS e Android, já possuem esse tipo de configuração. Confira abaixo como ativar:

Controle de acesso no iPhone

O sistema iOS, que roda no iPhone, já possui um recurso de controle parental de forma nativa. A Apple, no entanto, resolveu chamá-lo de “restrições”. Para acessar, entre em ajustes, geral e restrições. Nessa tela, é possível ativar essa funcionalidade para controlar o acesso a aplicativos e conteúdos específicos.

Assim que você tocar em ativar restrições, o sistema pedirá uma senha que você terá que criar para alterar novamente essas configurações em outra oportunidade. Depois dessa etapa, você poderá desativar o acesso a aplicativos como Safari, câmera, Facetime, iTunes Store, além de permitir aplicativos com classificações específicas (4+, 9+, 12+ e 17+). Nessa tela, você também consegue impedir instalação, remoção e compras dentro de apps. Os conteúdos, como músicas e filmes, também podem ser ajustados de acordo com a classificação.

Outra possibilidade é limitar o acesso a determinados sites. Nesse recurso, você pode impedir o acesso a sites adultos ou limitar o uso apenas a endereços específicos. No segundo caso, você pode escolher entre as opções previamente selecionadas ou tocar em adicionar site para colocar apenas endereços de sua preferência e que a criança pode acessar.

Controle de acesso no Android

O Android também possui um recurso parecido com o iOS. A diferença é que o usuário precisa criar um novo perfil de utilização com essas restrições. Para acessar, você deve entrar em configurações, usuários, adicionar usuário ou perfil e, depois, tocar em perfil restrito. Passada essa etapa, é hora de escolher uma senha e selecionar o tipo de segurança (PIN, senha e padrão de desbloqueio). Pronto, agora você está apto a desativar aplicativos e funcionalidades. Uma tela vai listar todos os aplicativos instalados e um botão de on/off.

Para finalizar, você precisa criar um nome para o seu perfil. Para tanto, toque no ícone de três linhas ao lado do novo perfil. Agora, você pode desativar os aplicativos que não deseja que seu filho use tocando na opção off. Quando a tela for bloqueada e o botão de desbloqueio for pressionado, duas opções de perfil aparecerão. Você deve tocar no que você acabou de criar e seguir a etapa de senha configurada.

Além disso, também é possível ativar o controle parental na Google Play Store para impedir que seu filho seja exposto a aplicativos impróprios. Para fazer essa configuração, acesse a Google Play, vá em configurações e controle dos pais. Para ativar, também será necessário criar uma senha. Depois, é só selecionar o nível de classificação de conteúdo que você desejar para apps e jogos.

Você também pode baixar aplicativos de terceiros para limitar o uso diário do seu filho, bem como o acesso a aplicativos e sites específicos. Estão nessa lista aplicativos como o navegador Net Nanny e o aplicativo Kaspersky Safe Kids.

O último é desenvolvido pela popular empresa de segurança Kaspersky e permite aos pais um maior controle sobre a atividade digital das crianças. A versão gratuita tem funcionalidades como bloqueio do acesso a sites inadequados, personalização de sites e aplicativos bloqueados/permitidos, além de recomendações de um psicólogo profissional. A versão paga ainda permite que você monitore a localização do seu filho por meio do GPS.

Fonte: Divulgação